Americanas e Submarino ficam fora do ar; quais os impactos nas ações?

Desde a madrugada de domingo (20), os sites da Americanas e Submarino ficam fora do ar. Mesmo sem uma confirmação oficial, existe a suspeita de um ataque hacker. Por conta deste problema nos sites pertencentes ao grupo, as ações da Americanas registraram forte desvalorização.

Americanas e Submarino ficam fora do ar; quais os impactos nas ações?
Americanas e Submarino ficam fora do ar; quais os impactos nas ações? (Imagem: Montagem/FDR)

Em comunicados, a Americanas informou que os servidores foram inicialmente impactados na madrugada do último sábado (19).

A empresa alega que conseguiu restaurar o acesso aos sites pela tarde. Contudo, após outro caso de acesso não autorizado, houve a necessidade de derrubar novamente no domingo. Por conta disso, os sites da Americanas.com e Submarino ficaram fora do ar.

A companhia declara que atua com especialistas e recursos técnicos para avaliar a extensão do ocorrido — e normalizar com segurança o e-commerce o mais rápido possível. A Americanas ressalta que as lojas físicas não foram prejudicadas.

Mesmo sem confirmação oficial, hackers reivindicam ataque aos sites da companhia.

No submundo dos hackers, o grupo Lapsus$ assume o ocorrido. No sábado, quando o site da Americanas voltou ao ar, o grupo, por meio de chats, declarou que tinham realizado um novo ataque — que também afetou o sistema de pagamentos.

 Impacto nas ações da Americanas

Diante da instabilidade nos sites, a Americanas perdeu R$1,97 bilhão em valor de mercado, em relação à última sexta-feira (18), segundo apurado pela Economatica. No pregão desta segunda, o grupo encerrou avaliado em R$ 27,9 bilhões.

Após os sites da empresa terem saído do ar, as ações do grupo caíram 6,61%, a R$ 31,49 no fechamento desta segunda. Os papéis também foram afetados pela aversão ao risco causada pela tensão entre a Rússia e Ucrânia.

A XP interpretou a notícia, do e-commerce fora do ar, como marginalmente negativa. Isso porque o canal virtual representa aproximadamente 60% das receitas da companhia.

Os analistas declaram que seguirão monitorando a instabilidade para ter maior visão dos possíveis impactos financeiros para a empresa. A casa segue com recomendação neutra para os papéis, com preço-alvo de R$ 40 por ativo.

O Citi também ressaltou a importância do canal online para as vendas brutas. A instituição alega que existirá impacto considerável. Apesar disso, há a expectativa de que as operações voltem rapidamente. O banco possui indicação de compra para as ações, com preço-alvo de R$ 48.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.