Tensões entre Rússia e Ucrânia voltam a deixar as bolsas ‘turbulentas’

As tensões entre Rússia e Ucrânia tem impactado a economia global há semanas. Contudo, nesta quinta-feira (17), diante da intensificação do conflito entre os dois países, as bolsas de valores pelo mundo se abalaram ainda mais.

Tensões entre Rússia e Ucrânia voltam a deixar as bolsas 'turbulentas'
Tensões entre Rússia e Ucrânia voltam a deixar as bolsas ‘turbulentas’ (Imagem: Montagem/FDR)

O principal índice da bolsa brasileira, Ibovespa, registrou queda após sete altas consecutivas. No fechamento, o índice registrou queda de 1,43%, a 113.528 pontos. O volume financeiro foi de R$ 28,3 bilhões.

No dia anterior, a bolsa brasileira tinha fechado em elevação de 0,31%, a 115.181 pontos. Esse havia sido o maior nível de fechamento desde 14 de setembro de 2021, quando atingiu 116.180 pontos.

As bolsas estrangeiras também foram afetadas pelas tensões entre Rússia e Ucrânia. O cenário adverso abalou as ações da Europa, apesar dos balanços divulgados por empresas como Reckitt Benckiser, Kering e Commerzbank.

O índice pan-europeu encerrou o dia em redução de 0,69%, a 464,55 pontos. As principais quedas foram de ações dos setores bancários e de energia — ao mesmo passo em que os valores do petróleo diminuíam e os rendimentos dos títulos europeus e referência recuaram pelo segundo dia seguido.

O índice CAC 40, da França, registrou queda de 0,26%, a 6.946,82 pontos. O Financial Times, da Inglaterra, diminuiu 0,87%, a 7.537,37 pontos. O DAX, da Alemanha recuou 0,67%, a 15.267,63 pontos.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones desvalorizou 1,78%, a 24.311,18 pontos. O Nasdaq recuou 2,88%, a 13.716,72 pontos. O S&P 500, por sua vez, reduziu 2,12%, a 4.380,04 pontos.

Bolsa de Valores para iniciantes: Vantagens e riscos que você precisa saber

As tensões entre Rússia e Ucrânia se intensificam

Na manhã desta quinta, a Ucrânia declarou que um ataque da Rússia atingiu um jardim de infância em Luhansk — cidade dominada por rebeldes. Ao site Sky News, o porta-voz das forças armadas ucranianas, Pavlo Kovalchuk, informou que o ataque foi efetuado por membros de uma ocupação russa.

Os Estados Unidos declararam que, nos últimos dias, a Rússia enviou mais de 7 mil soldados para a fronteira com a Ucrânia.

A acusação acontece apesar do anúncio de Moscou, de os militares estariam recuando. As informações foram reveladas pelos canais CNN e Sky News, por meio um funcionário do alto escalão do governo.

Nesta quinta, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, alegou que a possibilidade de os russos invadirem a Ucrânia é “muito alta” nos próximos dias.

Silvio SuehiroSilvio Suehiro
Silvio Suehiro possui formação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atualmente, dedica-se à produção de textos para as áreas de economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile