Futebol: Diego Costa tem quebra de sigilo em contas bancárias; descubra motivo

O atacante Diego Costa teve o sigilo bancário de contas na Espanha quebrado por pedido da Justiça Federal de Itabaiana, em Sergipe. Essa ação faz parte de um processo que investiga uma suposta ligação entre o atacante, ex-Atlético-MG, com uma casa de apostas que está sendo investigada por evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

O jogador não teria conseguido explicar a sua ligação com a empresa  Esportenet e por isso a solicitação foi feita. 

De acordo com o Globo Esporte, o jogador afirmou em depoimento que sua ligação com a empresa era apenas como cliente. Apesar disso, Diego não soube informar qual seria seu login e senha para acessar a conta.

Segundo a PF, a movimentação financeira entre Diego e os integrantes do grupo que estão no comando da empresa é incompatível com a versão.

A suspeita da PF é de que Diego estaria atuando como financiador da empresa, que tem sede em Aracaju, Sergipe. Nos outros depoimentos, a PF ouviu que parte dos recursos enviados para fora do país envolvia a compra de criptomoedas, o que poderia mascarar o envio de dinheiro para forma do país de forma ilegal.

Um dos sócios da Esportenet é Reinan Nascimento dos Santos, dono de um clube de futebol na cidade de Lagarto e membro familiar do ex-jogador da seleção da Espanha e do Atlético-MG. Em 2021, a PF deflagrou duas operações com mandados de busca e apreensão em endereços ligados à empresa. 

Nelas, cerca de R$13 milhões foram apreendidos. O valor seria, segundo as investigações, fruto de ação criminosa.

Saída do Atlético

No início do ano, Diego Costa pediu a rescisão de contrato com o Atlético-MG. Mas, isso não atrapalha, em tese, as investigações. 

Mesmo que ele deixe o país, a PF afirma que ele já prestou as informações necessárias nesta fase das investigações. O atacante está, neste momento, sem clube e, segundo pessoas ligadas a ele, consultadas pelo blog, o atleta está no Brasil. 

Os advogados do atleta divulgou uma nota:

“A defesa técnica do atleta Diego Costa acompanha de perto o desenrolar das investigações relativas à Operação Distração, no exercício da ampla defesa, aguardando os próximos passos e resultados das diligências, sempre à disposição para colaborar com a busca da verdade real, por meio do devido processo legal.

Quanto ao pedido de quebra de sigilo bancário internacional, nesse momento, a defesa nada tem a declarar, eis que que a medida cautelar não lhe traz surpresa alguma, sendo, portanto, apenas uma fase seguinte no cronograma investigativo, que tem o propósito de confirmar as declarações prestadas pelo jogador à Polícia Federal, após ele ter informado ao delegado que abriria mão dos seus sigilos.

Com efeito, vale informar que a quebra internacional de sigilo demanda uma burocracia considerável, passando por diversos órgãos dos governos e justiça dos dois países envolvidos.

Portanto, a defesa segue a mesma linha, firme no propósito de demonstrar que o craque nunca foi financiador ou teve qualquer outra ligação com o site de apostas investigado, que não seja a de consumidor, na qualidade de apostador.

No mais, a defesa aguarda os resultados das novas diligências determinadas, a fim de se posicionar sobre estes, oportunamente.”

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.