Instituições de ensino fazem pressão por volta de aulas presenciais no RJ

No Rio de Janeiro, universidades e escolas solicitam o retorno das aulas presenciais. Nessa semana, representantes de 11 instituições de ensino assinaram um documento solicitando permissão para que os alunos passem a executar suas atividades nos campus. O documento foi endereçado ao Governo Estadual. Entenda os detalhes abaixo.

A pandemia do novo coronavírus permanece inviabilizando a realização de uma série de atividades presenciais. Para os alunos, as aulas ainda estão online, porém, os centros de ensino estão solicitando o retorno aos seus espaços físicos.

Universidades cobram posicionamento do governo

Tendo em vista a redução dos casos de covid-19 nas últimas semanas, 11 universidades do Rio de Janeiro assinaram um documento mostrando-se a favor do retorno imediato às atividades presenciais.

O texto afirma que a presença dos alunos é fundamental para garantir um processo de ensino e aprendizagem de qualidade.

Assinam a nota os reitores ou diretor-geral nas seguintes instituições: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo), Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), Instituto Federal Fluminense (IFF), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ) e Colégio Pedro II (CPII).

O documento pontua que nesses dois anos iniciais foram adotadas uma série de medidas para o enfrentamento da crise sanitária, porém, nesse momento é preciso que cada instituição passe a ter liberdade para retomar seu funcionamento.

“A adoção do ensino remoto emergencial foi necessária e preparada com todo o cuidado didático, jurídico e institucional, com ampla discussão nos conselhos superiores, cuja reversão está ocorrendo de forma gradativa e planejada. Nossas ações nesses tempos de pandemia foram fundamentais para que vidas pudessem ser preservadas. Neste momento, temos convicção de que o retorno completo ao ensino presencial será fundamental para o processo de ensino-aprendizagem de qualidade”, diz o documento.

“Não obstante, cientes e defensores da ciência e das políticas públicas geradas a partir de estudos comprovados cientificamente, nós defendemos e cobramos o esquema vacinal completo para o retorno presencial de toda a comunidade acadêmica. Todavia, vários membros das comunidades de nossas instituições fazem parte de grupo de maior risco para desenvolvimento de doença grave, mesmo quando vacinados, e precisam se manter afastados por determinação legal”, concluem os reitores.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.