Selic vai subir ainda mais? Confira novas projeções do mercado

Em ata divulgada nesta terça-feira (8), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central indicou que o ciclo de aumento dos juros não deve se encerrar no próximo encontro, marcado para março. Diante desse cenário, o mercado estima que a taxa Selic vai subir ainda mais, em relação às previsões anteriores.

Selic vai subir ainda mais? Confira novas projeções do mercado
Selic vai subir ainda mais? Confira novas projeções do mercado (Imagem: Montagem/FDR)

O Copom informou que não deve encerrar o ciclo de alta da taxa básica de juros. De qualquer modo, o colegiado indicou que pretende diminuir o ritmo de ajuste monetário a partir de março. O mercado financeiro estima que o nível cairá de 1,5 ponto percentual para 1 p.p.

O Comitê comentou sobre realizar “ajustes adicionais”, mas sem informar o patamar dos movimentos futuros. O colegiado ainda levantou uma margem para lidar com as incertezas do cenário — de modo a não estabelecer um movimento específico.

Mercado projeta que Selic vai subir ainda mais

O comunicado do Banco Central impactou o novo levantamento feito pelo Valor, com 81 instituições financeiras e consultorias. Deste total, 56 acreditam que, em maio, o Copom subirá a Selic para 12,25%.

Há 50 que estimam que esta será a última elevação do ciclo. Conforme uma mediana das contribuições, este nível será mantido até dezembro deste ano.
Antes da última reunião do Copom, na semana passada, a mediana da pesquisa apontava que a taxa Selic encerrasse o ano a 11,75%.

Após a divulgação da ata, o itaú Unibanco, J.P. Morgan e Barclays revisaram as previsões para a taxa Selic. O Itaú estima que a taxa Selic final seja de 12,50%. Já as outras duas instituições preveem que a Selic chegará a 12,25%.

Em relatório, o economista-chefe do Itaú, Mario Mesquita, declara que a ata do Copom aponta que as autoridades projetam um ritmo mais lento de aumento da Selic à frente — mas sem uma interrupção iminente.

Os economistas do J.P. Morgan, Cassiana Fernandez e Vinicius Moreira, em relatório, declara que uma política mais contracionista poderá ser obtida por uma Selic mais alta no fim do ciclo, ou aos se manter juros elevados por mais tempo.

Segundo os economistas, por conta da deterioração ainda maior das estimativas de inflação de curto prazo e os aumentos das preocupações fiscais, a comunicação aponta que o Banco Central prefere uma combinação das duas estratégias.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.