Tendência entre famosos, descubra como criar e vender NFT’s por fortunas

Pontos-chave
  • NFT’s movimentaram montante de R$128 bilhões em 2021
  • Tokens ganham evidência após uso de famosos
  • NFTs são uma forma de demonstrar propriedade sobre um ativo digital

Em 2021, foi movimentado um montante de cerca de R$128,1 bilhões, ou US$23 bilhões em NFT’s. Vem chamando a atenção a criação e também as vendas dos tokens não fungíveis. No momento em que o jogador Neymar paga o equivalente a US$6 milhões por imagens de macacos, ele está contemplado uma, de diversas etapas desde a criação até a venda de uma NFT. Saiba mais sobre o assunto.

A sócia da Unblock Capital e especialista no tema, Catarina Papa, explicou tudo sobre NFTs, desde como criar e vender até seu impacto na nova economia a Forbes.

O que é NFT

“É um item único. Na terminologia correta – um item não fungível. No mundo digital, a gente fala que este item não fungível é representado por um token – token não fungível, ou non-fungible token no inglês. Em outras palavras, NFTs são uma forma de demonstrar propriedade sobre um ativo digital ou um ativo do mundo real representado por um token. NFTs não são reduzidos à arte, apesar de o grande boom ter ocorrido por conta da atratividade pelas artes digitais. Qualquer coisa pode ser um NFT: uma imagem, áudio, vídeo, um nome de domínio, ingressos para shows, álbuns de música, ativos digitais no jogo (por exemplo, uma skin).”

Como criar um NFT

“O verbo que se referencia à criação de um NFT é cunhar- to mint, do inglês. Cunhagem de NFT é o processo que transforma um arquivo digital em um ativo digital blockchain. É impossível modificar, excluir ou editar um ativo digital registrado na blockchain. No Brasil, já tropicalizamos o termo: uma pessoa pode mintar um NFT. Em outras palavras, é a cunhagem de uma arte que a transformará em um token não fungível para que ele possa ser comprado ou vendido.”

Como vender?

“NFTs são negociados em marketplaces que funcionam como vitrines onde investidores ou colecionadores deixam seus tokens expostos para receberem ofertas de compra e vendê-los. Os mais populares são: OpenSea e Rarible. Existem muitos marketplaces, inclusive dentro de jogos é possível comprar e vender NFTs.”

Quais ferramentas usar?

“As NFTs são cunhadas em uma blockchain e ficam registradas. Este processo é seguro, não depende de confiar em pessoas e é imutável – não tem como mudar o histórico passado de um registro. Se você é um artista e tem uma arte digital, por exemplo, a primeira coisa a se fazer é escolher uma plataforma / marketplace para cunhar sua arte e deixá-la ali exposta”.

Desde outubro o ano passado, a criação de NFTs é gratuita em mercados de NFT mais populares, como OpenSea, Rarible e Mintable. porém, listar NFTs para venda resultará em uma taxa.

“Depois que você escolhe o marketplace, precisa de uma carteira (wallet) para conectar à plataforma e poder pagar as taxas e também receber o valor / pagamento se sua NFT for vendida. A Metamask é a wallet mais popular. O processo de cunhar um NFT é instantâneo e as instruções passo a passo para enviar seu arquivo digital devem ser fornecidas pelo marketplace NFT.”

Como Investir em NFTs

“É importante um aprofundamento no tema e estudo para compreender porquê um NFT é valioso e a possibilidade de valorização quando se quer investir em NFTs. Vale lembrar que as pessoas não compram NFT apenas para investimento. Muitos compram para fazer parte de uma comunidade, outros para colecionar”.

Existe uma regra básica de análise para entender o valor de uma NFT: raridade, utilidade e tangibilidade. O valor de uma NFT, além disso, também difere para a posse de curto ou longo prazo, dependendo do ativo que a NFT representa.

“Contudo, a recomendação é que antes de comprar, faça parte da comunidade daquele projeto no Discord, siga no Twitter, veja o que está sendo comentado sobre os tokens… os investidores com maior sucesso são aqueles que estão diariamente envolvido nas comunidades”, finaliza Catarina.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.