Corretora de investimentos do Banco BS2 é vendida; confira o que muda

Na última sexta-feira (4), a Galapagos Capital anunciou a aquisição da corretora de investimentos do Banco BS2. Com isso, a gestora de recursos independente comandará a base de 12 mil clientes investidores ativos do BS2 DTVM (Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A do BS2).

Diante dessa decisão, a Galapagos Capital passará a operar os mais de 250 produtos de investimentos do BS2 DTVM, de acordo com o Valor. A companhia ainda terá acesso uma plataforma que abrange aplicativos, sistemas de backoffice e transacionais.

A Galapagos possui uma carteira de clientes que totaliza mais de 9 mil investidores. São mais de R$ 5,1 bilhões sob gestão da empresa.

O acordo estabelece a transferência do CNPJ para a Galapagos Capital. A medida possibilita um aumento do foco de negócios, concentrado, até então, em gestão.
Vale destacar que o negócio ainda dependerá de aprovação por parte dos órgãos reguladores.

Venda da corretora de investimentos do Banco BS2 integra mudança de estratégia

A venda da corretora de investimentos acompanha a redefinição estratégia do Banco BS2. A instituição deixa de focar no varejo de pessoa física para se empenhar mais nos serviços para as empresas.

Dentro dessa nova estratégia, de forma simultânea, o banco também realizou a venda, da BS2 Asset Management para a Faros Participações. A asset, que soma R$ 88 milhões em ativos alocados, tem especialidade na gestão patrimonial de fundos exclusivos dos segmentos high e ultra high.

Na metade de 2021, o BS2 realizou a venda da processadora de cartões para o Magazine Luiza. Em dezembro, houve um acordo com o next, concedendo a opção aos 700 mil clientes, aproximadamente, para transferir os serviços de conta corrente para o banco digital do Bradesco.

Ao Valor, a vice-presidente de relações com investidores do BS2 à frente da DTVM e da asset, Juliana Pentagna Guimarães, afirma que — nessa estratégia para a pessoa jurídica —, o banco observou mais oportunidades de se destacar.

Dentro do negócio de pessoa física, ela declara que existe mais competição e ofertas muito parecias entre os bancos digitais.

Na avaliação do BS2, houve muita dificuldade para conseguir espaço no varejo, que apresentou mais congestionamento. Isso acontece em meio ao avanço de plataformas como BTG Pacutal e XP, e instituições nativas digitais como o Nubank.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.