Correção do salário mínimo muda o valor dos benefícios federais, saiba quais são

Em tempos de crise econômica, ter educação financeira pode auxiliar na hora de organizar as contas de casa. O primeiro trimestre de todo ano, normalmente é marcado por uma série de despesas que resultam no aperto orçamentário. Material e matricula escolar, IPTU, IPVA, são algumas das cobranças obrigatórias para parte dos brasileiros. Abaixo, acompanhe dicas para evitar o endividamento.

Antes de pagar qualquer conta, é extremamente importante que você faça um planejamento financeiro. Em um papel ou planilha virtual, passe a anotar todas as despesas essenciais e não essenciais que já tem em mente. No caso do IPTU, IPVA e material escolar, por exemplo, são itens que precisam ser pagos.

Despesa fixa e despesa variável

A separação dos gastos fixos e variáveis irão te ajudar a entender o valor exato e aqueles acréscimos que podem surgir ao longo do mês. Inicia sua contabilidade pelos boletos e despesas como aluguel, IPTU, IPVA, entre outros, que são sempre a mesma quantia, sem possibilidade de alteração exceto haja juros por atraso.

Depois, tome nota das despesas que podem sofrer alterações, como conta de energia, feira e demais compras, gastos referentes a lazer, etc. Ao dividir esses dois grupos, fique atento aos prazos de vencimento de cada cobrança e assim você conseguirá separar os valores destinados a cada uma delas para evitar juros.

Crie seu próprio imposto

Essa dica é essencial para quem deseja acumular renda e fazer uma poupança. Se você ainda não se sente seguro para aplicações, não tem recursos o suficiente ou deseja guardar um valor mínimo mensal, a sugestão irá te ajudar.

Ao organizar as despesas fixas, citadas acima, estimule um valor x para lhe pagar todo mês. Ele não deve sofrer alterações e funciona como um boleto que você tem prazo para pagar. Uma ferramenta que pode ajudá-lo são plataformas financeiras como o Nubank, entre outras, que permite a criação de um carnê que ao ser pago o valor será repassado para sua conta, de preferência não utilizada diariamente.

A ideia é deixar essa quantia retida em um espaço que você não tenha acesso fácil, sem que se misture nos débitos da casa, para estimular seu próprio pagamento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.