Minoria da população guardou dinheiro para pagar IPTU e IPVA no RJ

O ano novo já chegou e junto com ele, as contas de IPTU, IPVA, material escolar, entre outras despesas. De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises do Rio de Janeiro, o número de pessoas que tem a intenção de parcelar estes gastos cresceu.

O levantamento mostrou ainda que o índice de pessoas que realizaram uma reserva de segurança para pagar estas despesas caiu. Nesta pesquisa, o índice ficou em 38% do total de entrevistados, que disseram ter feito uma reserva para pagar estas despesas durante o ano. 

Segundo os estudos realizados nos últimos dois anos, este percentual foi de 52,3% e 41,8%, respectivamente. João Gomes, diretor do Instituto Fecomércio do Rio, analisou  que o cenário atual ainda é de muita incerteza.

Já em relação ao IPTU, grande parte dos entrevistados, cerca de 80%, afirmaram que irão pagar o tributo. Porém, deste total, cerca de 70% disseram que irão pagar parcelado. Em 2021, o índice de parcelamento foi menor, cerca de 60%.

O IPVA, por sua vez, deve ser pago parcelado por 65% dos entrevistados e 35% afirmaram que pagarão à vista. 

Por fim, os consumidores que tem gastos com material escolar, 65,9% deles tem a intenção de pagar à vista. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 18 de janeiro e teve a participação de 506 consumidores do Rio de Janeiro. 

IPTU

O Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana é uma cobrança brasileiro instituído pela Constituição Federal cuja incidência se dá sobre a propriedade urbana.

Ou seja, o IPTU tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou a posse de propriedade imóvel localizada em zona urbana ou extensão urbana.

Em caso de áreas rurais, o imposto sobre a propriedade do imóvel é o ITR. Os contribuintes do imposto são as pessoas físicas ou jurídicas que mantém a posse do imóvel, por justo título.

Finalidade do IPVA

20% do valor arrecadado pelo tributo é remetido para o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). E o restante é dividido em 50% para o estado, e a outra parte fica para o município de registro do veículo.

A quota-parte estadual compõe o orçamento do ano e, sendo assim, é direcionada para as várias áreas de atuação do estado, como a saúde, educação, segurança pública e infraestrutura.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.