Para onde vai a Selic? Mercado está buscando pistas sobre o futuro da taxa

O mercado tem buscado pistas sobre o futuro da taxa Selic. Como forma de ter uma perspectiva para onde vai a Selic, agentes financeiros observaram a participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento realizado pelo banco Santander nesta quinta-feira (20).

Para onde vai a Selic? Mercado está buscando pistas sobre o futuro da taxa
Para onde vai a Selic? Mercado está buscando pistas sobre o futuro da taxa (Imagem: Montagem/FDR)

Em evento promovido pelo Santander, o presidente do BC declarou que a curva de juros brasileira monstra que o ciclo de alta está perto do fim — e ficando plana. Conforme ele, “a parte longa da curva precifica questões fiscais”. Campos Neto alegou que existe uma “onda” de elevação de taxas de juros no planeta.

O presidente da autoridade monetária afirmou que “todo mundo está olhando para os Estados Unidos”.

Ele ressaltou que que o mercado observa o modo que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) está observando para o seu balanço. Campos Neto alega não saber como isso se desenvolverá daqui para a frente.

“O Brasil foi o país que mais subiu as taxas. Endereçamos e explicamos isso”, alegou.

O presidente do BC ainda disse que o país vem “navegando” na nova variante do coronavírus, a ômicron — com certa interrupção de oferta, “mas nada grave”. Campos Neto disse que o “espalhamento” foi rápido. Contudo, houve diminuição das hospitalizações.

Mercado financeiro prevê para onde vai a Selic

Atualmente, a taxa Selic está em 9,25% ao ano. O mercado financeiro prevê que a taxa básica de juros aumentará para 11,75% ao ano, segundo divulgado no boletim Focus desta segunda-feira (17).

Em dezembro do ano passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, em comunicado da última reunião, informou que antevia outra elevação da Selic — de 1,5 ponto percentual. Desse modo, os juros chegariam a 10,75% ao ano no próximo encontro, que acontecerá no início de fevereiro.

Conforme apurado pelo Valor, uma ala de economistas declara que a manutenção das estimativas de inflação em grande nível é sinal de que elevar a Selic não vem resolvendo o problema.

No ano passado, o Brasil foi o país que mais subiu a taxa. Contudo, ainda há uma das maiores perspectivas de inflação ao consumidor para 2022 — em relação a outras nações.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.