Oficial! Veja o que muda no seu salário do INSS após publicação no DOU

Pontos-chave
  • Foi confirmado o reajuste de pelo menos 10,16% nas pensões e aposentadorias pagas acima de um salário mínimo;
  • Quem começou a receber o salário do INSS a partir de fevereiro de 2021, não terá o mesmo valor;
  • O FDR produziu a tabela com as devidas alterações de salário do INSS de um ano para o outro.

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 20, a portaria que o altera o valor de salário do INSS. Isso significa que todos os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social terão sua folha de pagamento atualizada com base na inflação do último ano.

Oficial! Veja o que muda no seu salário do INSS após publicação no DOU
Oficial! Veja o que muda no seu salário do INSS após publicação no DOU (Imagem: FDR)

Com a publicação, foi confirmado o reajuste de pelo menos 10,16% nas pensões e aposentadorias pagas acima de um salário mínimo. Aquelas que possuem valor limite de R$ 1.112, novo piso nacional, sofreram reajuste de 10,18% comparada ao último ano.

Por lei, nenhum benefício do INSS pode ter valor inferior ao salário mínimo federal. Justamente por isso, todos os anos são atualizados com base nas alterações nacionais.

Com a mudança, o maior salário do INSS, ou seja, o teto, passa de R$ 6.433,57 para R$ 7.087,22Para que houvesse a mudança, foi considerada a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano de 2021.

O INPC é usado como referência para que os benefícios e remunerações sejam atualizados. A ideia é que o brasileiro não perca seu poder de compra neste novo ano, devido a atualização de preços sofridas.

Quem começou a receber o salário do INSS a partir de fevereiro de 2021, não terá o mesmo valor. Isso porque, o cálculo vai utilizar como base as atualizações de 11 meses e não de 12 meses como é feito para os demais.

Neste caso, os reajustes vão caindo. Confira:

  • Pagamento até janeiro/21: reajuste de 10,16%
  • Pagamento a partir de fevereiro/21: reajuste de 9,86%
  • Pagamento a partir de março/21: reajuste de 8,97%
  • Pagamento a partir de abril/21: reajuste de 8,04%
  • Pagamento a partir de maio/21: reajuste de 7,63%
  • Pagamento a partir de junho/21: reajuste de 6,61%

Para o segundo semestre do ano, os reajustes variam de 5,97% até 0,73% a depender do ano em que iniciou o salário.

Mudanças no salário do INSS

Para quem recebe benefício de até um salário mínimo a mudança fica mais clara. O valor passou de R$ 1.100 em 2021 para R$ 1.212 em 2022. É o caso, por exemplo, dos beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Para os demais, que têm direito a rendimentos maiores, fica mais complicado de entender o que muda a partir da folha de pagamento de janeiro. Por isso, o FDR produziu essa tabela com as devidas alterações de um ano para o outro:

Aposentadoria em 2021 Valor da aposentadoria em 2022
R$ 1.100,00 (salário mínimo da época) R$ 1.212,00
R$ 1.500,00 R$ 1.652,40
R$ 2.000,00 R$ 2.203,20
R$ 2.500,00 R$ 2.754,00
R$ 3.000,00 R$ 3.304,80
R$ 3.500,00 R$ 3.855,60
R$ 4.000,00 R$ 4.406,40
R$ 4.500,00 R$ 4.957,20
R$ 5.000,00 R$ 5.508,00
R$ 5.500,00 R$ 6.058,80
R$ 6.000,00 R$ 6.609,60
R$ 6.433,57 (teto do INSS) R$ 7.087,22 (teto do INSS)

Os pagamentos atualizados vão começar a ser repassados a partir do dia 25 de janeiro para quem recebe até R$ 1.212. E a partir de 1 de fevereiro para quem tem salário superior a esse.

Isto é, tudo vai depender da ordem de pagamentos com base no calendário deste mês. Confira:

Benefícios de até 1 salário mínimo

  • Final 1: 25/01
  • Final 2: 26/01
  • Final 3: 27/01
  • Final 4: 28/01
  • Final 5: 31/01
  • Final 6: 01/02
  • Final 7: 02/02
  • Final 8: 03/02
  • Final 9: 04/02
  • Final 0: 07/02

Benefícios superiores a 1 salário mínimo:

  • Finais 1 e 6: 01/02
  • Finais 2 e 7: 02/02
  • Finais 3 e 8: 03/02
  • Finais 4 e 9: 04/02
  • Finais 5 e 0: 07/02

Alterações no salário do contribuinte do INSS

Devido a alteração de pagamentos para segurados, o salário do trabalhador que é contribuinte do INSS também vai ser modificado. A partir do mês de fevereiro, considerando a folha de janeiro, as contribuições serão outras.

Desde a reforma da Previdência que aconteceu em 2019, as alíquotas são progressivas. E cobradas sobre o salário que se enquadra em cada faixa.

O mínimo a ser cobrado é de 7,5% sobre o salário mínimo atual, esta é a base das faixas de contribuição. As alíquotas não mudam, o que se altera é o salário do contribuinte. Conforme indica a tabela abaixo:

  • Ganho de até 1 salário mínimo (R$ 1.212): 7,5% de contribuição
  • Ganho de R$ 1.212,01 a R$ 2.427,35: 9% de contribuição
  • Ganho de R$ 2.427,36 a R$ 3.641,03: 12% de contribuição
  • Ganho de R$ 3.641,04 a R$ 7.087,22: 14% de contribuição

O valor pago mensalmente para a Previdência Social pode ser conferido no Extrato do INSS, basta acessar o aplicativo Meu INSS.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.