Por potencial ‘gigantesco’, banco dos EUA recomenda compra de ações do Nubank

Um mês após a abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) em Nova York, o banco Morgan Stanley iniciou cobertura para as ações do Nubank (NYSE:NU). Desde a estreia, os ativos da fintech tiveram valorização de aproximadamente 4%. O banco dos Estados Unidos prevê alta ainda maior.

publicidade

Para as ações do Nubank, negociadas em Nova York, o Morgan Stanley possui recomendação overweight (exposição acima da média do mercado). Essa indicação é equivalente à compra, com preço-alvo de US$ 16.

Sendo assim, em comparação ao fechamento da última sexta-feira (31), com os ativos cotados a US$ 9,38, o potencial é de aumento de 70,6%.

No IPO, em 9 de dezembro do ano passado, as ações da fintech foram precificadas a US$ 9. Nesta mesma data, se iniciaram as negociações dos BDRs (Brazilian Depositary Receipts) NUBR33 na Bolsa de Valores brasileira, a B3. Os BDRs, por sua vez, foram precificado a R$ 8,36 na data.

publicidade

Perspectivas do Morgan Stanley para a recomendação de ações do Nubank

O Morgan Stanley afirma que o Nubank é um dos principais bancos digitais do mundo. Foi destacado que a fintech possui uma taxa de crescimento alta. Ao mesmo passo há o argumento que o banco digital possui uma marca bem avaliada e bastante reconhecida.

A instituição dos Estados Unidos ressalta que — baseado no uso de tecnologia, foco obsessivo no cliente, custos baixos e valiosa marca — o Nubank tem a oportunidade de construir a mais lucrativa e maior franquia bancária da América Latina.

O banco estima um crescimento de receita de 97% em 2022, de 54% em 2023, e 58% em 2024.

Nos próximos três anos, a instituição prevê um crescimento médio anual composto (CAGR, na sigla em inglês) de 68%. O patamar está cima de todas as outras empresas financeiras que a fintech faz cobertura na América Latina.

O Morgan Stanley prevê que o Nubank tenha equilíbrio, com base no lucro líquido ajustado em 2022, chegando a US$ 56 milhões — e aumentando para US$ 4,076 bilhões até 2026.

O banco norte-americano observa quatro fontes de potencial favorável para as estimativas: escopo para adicionar mais produtos bancários, expansão geográfica, crescimento via fusões e aquisições, e espaço para distribuição de serviços e produtos não financeiros.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.