Com Auxílio Brasil, expectativa é que popularidade de Bolsonaro suba só em abril

Bolsonaro tenta aumentar sua popularidade mediante a concessão de projetos sociais. Em 2022, o Brasil deve vivenciar uma das eleições mais acirradas da sua história. O atual presidente, Jair Messias Bolsonaro, irá concorrer com o ex-chefe de estado, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para garantir o eleitorado dos mais pobres, seu governo investirá no Auxílio Brasil.

Com Auxílio Brasil, expectativa é que popularidade de Bolsonaro suba só em abril (Imagem: FDR)
Com Auxílio Brasil, expectativa é que popularidade de Bolsonaro suba só em abril (Imagem: FDR)

A corrida para as eleições de 2022 está prestes a começar e ciente da oposição forte, Bolsonaro busca estratégias para se manter no poder. Desde que foi autorizada a candidatura de Lula, o atual chefe de estado tenta dialogar com a população vulnerável através da concessão do Auxílio Brasil.

Eleições pautadas pelas políticas sociais

Ciente de que não tem o apoio dos brasileiros mais pobres, Bolsonaro passou a aprovar uma série de benefícios sociais destinados a esse grupo como uma forma de tentar garantir sua reeleição. Além do Auxílio Brasil, o gestor aprovou também o vale gás, vale merenda e outros projetos temporários.

As ultimas pesquisas realizadas pela Datafolha mostram que Lula está na frente de Bolsonaro. É válido ressaltar que o candidato pelo PT é conhecido mundialmente por sua forte atuação social.

Lula foi homenageado pela ONU por tirar o Brasil do mapa da fome e durante suas duas gestões concedeu uma série de politicas públicas responsáveis por reduzir a desigualdade social no Brasil.

Auxílio Brasil como estratégia de campanha

Recentemente, Bolsonaro deu fim ao Bolsa Família, projeto fomentado no governo Lula, e criou o Auxílio Brasil. O novo programa tem a mesma finalidade do BF que é garantir uma renda mínima para os mais vulneráveis.

No entanto, Bolsonaro aumentou o valor do abono para R$ 400, sendo a quantia ainda insuficiente diante do atual cenário de crise econômica. Há especulações de que a partir de abril o benefício suba para R$ 600, funcionando como uma espécie de auxilio emergencial.

De modo geral, analistas políticos acreditam que Bolsonaro passará a investir na execução de projetos temporários com foco nos mais pobres. Porém, diante da popularidade e identificação com Lula, nordestino, com sua carreira construída em prol dos trabalhadores, o atual presidente pode não ganhar o eleitorado desse grupo.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.