Empréstimos mais caros: taxas de juros em novembro foram as mais altas desde 2019

Em novembro, a taxa média de juros cobrada pelo sistema financeiro do Brasil para empréstimos cresceu novamente, seguindo o aumento da Taxa Selic promovida pelo Banco Central como forma de controlar a inflação.

publicidade

A taxa subiu 1,46 ponto percentual em comparação com outubro, alcançando 34,14% ao ano, o maior índice desde novembro de 2019, quando a mesma estava em 35,55%. Considerando este ano, a taxa media das operações de crédito acumula um crescimento de 8,6 pontos percentuais, segundo o BC.

Estes dados são referentes ao segmento de recursos livres, cujo os custos dos financiamentos são determinados livremente pelas instituições financeiras, sem que haja intervenção do governo.

No decorrer do ano, a Selic que em janeiro estava em 2% ano ano, subiu 7,25 pontos percentuais. Atualmente, após a última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), a taxa foi 9,25% ao ano.  Segundo o colegiado, a taxa pode subir novamente em fevereiro  em 1,5 ponto na próxima reunião que acontece em fevereiro. 

publicidade

Mesmo com as taxas elevadas, o nível de inadimplência seguiu quase estável, subindo de 3,0% em outubro para 3,1% em novembro. Considerando o período de janeiro a novembro, a alta total foi de 0,2 ponto percentual.

Também aconteceu em novembro um crescimento no spread bancário, que é a diferença entre o custo de captação de recursos pelas instituições financeiras e o que é cobrado dos clientes na concessão do crédito.

O patamar do spread nas operações com recursos livres foi de  23,4 pontos percentuais em novembro, contra 22,9 pontos do mês anterior. Considerando o ano, a alta acumulada é de 2,5 pontos.

Agora falando sobre pessoas físicas, o Banco Central comunicou que juros médios cobrados em novembro para financiamentos de compra de veículos (+2,7 pontos) e do cartão de crédito rotativo (+2,6 pontos), foram os destaques.

Considerando o ano, os maiores aumentos foram no parcelado do cartão de crédito (+18,6 pontos), no rotativo do cartão (+18,3 pontos) e no cheque especial (+14,0 pontos).

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

A taxa do rotativo do cartão de crédito fechou novembro em 346,12% ao ano, patamar mais alto desde agosto de 2017, quando ficou em 392,29% ao ano.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.