DPVAT 2022 não será mais uma preocupação; veja quais veículos estão isentos

Mais uma vez os donos de veículos automotores não precisarão se preocupar com taxa do seguro de Danos Pessoais por Veículos Automotores (DPVAT). A cobrança do imposto para 2022 foi anulada, por unanimidade, pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP).

O motivo é muito simples, há mais dinheiro em caixa do que necessidade do pagamento de indenizações. A própria Superintendência de Seguros Privados (Susep) admitiu que existem recursos suficientes para lidar com novos pedidos de seguro em 2022.

Embora haja um grande número de reclamações sobre o seguro, a Caixa Econômica Federal é a responsável por lidar com esse sistema. Depois de acusações de corrupção, a seguradora Líder ficou em segundo plano no comando do DPVAT.

Quem está isento da taxa do DPVAT 2022?

Bom, analisando o que foi divulgado pelo CNSP, todos os veículos automotivos estão isentos do imposto. Isso significa que não é necessário preencher uma série de requisitos para conseguir deixar de pagar o tributo.

O valor do DPVAT chegava a R$ 12,25 para as motocicletas, que arcavam com a taxa mais alta. E de R$ 8,08 para veículos de passeio e ônibus.

Ainda assim, existem disponíveis algo em torno de R$ 7 bilhões para o pagamento das indenizações. Por isso, caso haja necessidade, o cidadão pode fazer o pedido do seguro.

Segundo o jornal Metrópoles, associações de defesa do consumidor apresentaram a ideia de que o próprio cidadão escolha qual a seguradora deve pagar sua indenização. Mas, essa ideia ainda deve ser estudada.

Como pedir indenização no seguro DPVAT

Todos os brasileiros têm direito de serem indenizados com o seguro DPVAT 2022, mesmo que não sejam condutores de veículos, logo não tenham contribuído com o imposto.

A ideia do seguro é pagar uma quantia em dinheiro para aqueles que sofrem acidentes de trânsito, tanto para as vítimas quanto para os seus herdeiros.

O pedido tem acontecido no aplicativo DPVAT ou diretamente em uma unidade da Caixa Econômica. Sendo necessário levar a documento que comprove que houve o acidente, e o cidadão foi lesionado, como boletim de ocorrência e atestado de óbito.

A cobertura do DPVAT incluí:

  • Despesas médicas, de até R$ 2.700;
  • Invalidez permanente, total ou parcial, de até R$ 13.500;
  • Morte, de até R$ 13.500 para os herdeiros.

O governo tem o prazo máximo de três anos para fazer o pagamento. Não é coberto pelo seguro os danos materiais, por exemplo, em caso de roubo ou furto do veículo. E ainda, as possíveis multas aplicadas ao condutor devido ao acidente causado.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.