Cesta de Natal mais cara: Confira quais produtos mais influenciaram no aumento do preço

Segundo uma pesquisa da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), sobre o preço dos produtos que compõem a ceia de Natal, houve um aumento de 11,8% em relação ao ano passado, ficando acima da inflação.

publicidade

Segundo o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe, Guilherme Moreira, o principal vilão para o aumento da Cesta de Natal são as carnes, afirmou em entrevista à CNN.

O item é o principal na ceia e está presente também nas demais confraternizações de fim de ano, seja como prato principal ou nos churrascos. Entre as carnes a que teve mais alta foi o filé mignon que registou um aumento de 30,78% em comparação a 2020.

Em segundo lugar ficou o peru, prato típico do Natal, que teve alta de 23,83% no preço em comparação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a Cesta de Natal também foi encarecida devido ao aumento de outros itens, como a azeitona verde (23,76%), panetone (21,81%) e o bacalhau (21,27%).

publicidade

Esses produtos, que são presentes no Natal, foram um dos mais afetados pela inflação dos últimos meses. Veja abaixo os 10 produtos da cesta natalina com maior alta em 2021:

  • Filé Mignon +30,78%;
  • Peru +23,83%;
  • Azeitona verde +23,76%;
  • Panetone +21,81%;
  • Bacalhau +21,27%;
  • Farofa +20,19%;
  • Chester +19,39%;
  • Caixa de Bombom +18,51%;
  • Queijo ralado +16,12%;
  • Palmito Pupunha +13,88%.

De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação no Brasil no mês de novembro foi de 0,95%. No acumulado do ano a alta já chega a 9,26%. Porém, nos últimos 12 meses o índice que mede a inflação oficial do país registrou uma alta de 10,74%.

Segundo Moreira, “… a maioria desses produtos consumidos passam por etapas industriais. Essa indústria consome energia elétrica, frete de transportes, embalagens, que são elementos que sofreram aumentos e impacta na composição de custos desses itens”.

Além disso, o economista afirmou que os poucos itens da Cesta de Natal que registraram queda no preço neste ano é devido às altas no ano anterior. Exemplo disso é o lombo de porco que teve uma queda de 7,7%, comparado ao mesmo período de 2020.

“A carne suína, em 2020, teve uma grande demanda chinesa e subiu muito o preço. Caiu um pouco esse ano por causa da regularização de lá, mas estava em um patamar muito alto”, declarou Moreira a CNN.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.