Como vai ficar o pagamento do IPTU em Curitiba após aprovação de projeto?

Nesta segunda-feira, 6, a Câmara Municipal de Curitiba, aprovou por unanimidade em primeiro turno, o adiamento da revisão da planta genérica referente ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). A previsão é para que agora, a apreciação do Projeto de Lei (PL) que dispõe sobre o tema, aconteça no mês de outubro do ano que vem. 

publicidade
Como vai ficar o pagamento do IPTU em Curitiba após aprovação de projeto?
Como vai ficar o pagamento do IPTU em Curitiba após aprovação de projeto? (Imagem: FDR)

A planta genérica é o documento responsável por determinar o valor do metro quadrado de construções e terrenos situados em toda Curitiba. A elaboração desta planta genérica deve reunir detalhes minuciosos sobre os imóveis.

Tendo em vista que consiste na base de cálculo do IPTU, além de demais impostos, como o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). 

publicidade

Isso quer dizer que o calendário do IPTU ano-base 2022 com pagamento previsto para 2021, já contaria com a correção pela inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Por hora, a projeção da taxa inflacionária chegou a 10,97%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Lembrando que o número oficial será divulgado apenas em janeiro de 2022.

A proposta de correção do IPTU foi enviada pela Prefeitura de Curitiba à Casa Legislativa, e recebeu 38 votos a favor. O segundo e último turno de votação deve acontecer ainda nesta terça-feira, 7.

Se o PL for aprovado a caráter conclusivo, o valor do IPTU cobrado em 2022 não terá os reajustes anuais de 4% para imóveis residenciais e de 7% para terrenos como de costume. 

Conforme previsto em lei municipal, o prefeito de Curitiba tem até o dia 15 de outubro do primeiro ano de gestão para enviar o projeto com as devidas atualizações dos valores do metro quadrado para regulamento da cobrança do IPTU

Em justificativa, a administração municipal alegou que, por hora, novos reajustes seriam prejudiciais à população em virtude dos impactos causados pela pandemia da Covid-19, que atingiu expressivamente a renda familiar e o faturamento das empresas. 

publicidade

O Executivo municipal também apontou que os cálculos do valor do metro quadrado estariam desatualizados, tendo em vista que a última revisão da planta genérica foi implementada através de lei municipal no ano de 2017. Posteriormente, houve a valorização dos imóveis através do novo Zoneamento, em vigor desde 2020. 

IPTU

O IPTU é o imposto incidente sobre as propriedades construídas em perímetro urbano, ou seja, é cobrado anualmente de proprietários de casas, prédios ou estabelecimentos comerciais de uma cidade.

Tendo em vista que ele incide sobre cada propriedade, o contribuinte que tiver mais de um imóvel registrado em sua titularidade, deverá arcar com as despesas de todos eles. Se ele possuir cinco imóveis, será preciso pagar cinco IPTUs.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

É importante destacar que, se a propriedade for urbana, mas ele possuir apenas o terreno sem construção, será pago o Imposto Territorial Urbano (ITU). Porém, se o terreno se encontrar fora do perímetro urbano, a taxa incidente é a do Imposto Territorial Rural (ITR). Ambos possuem uma base de cálculos e alíquotas distintas do IPTU

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.