Auxílio emergencial e BEm predominam como programas mais bem pagos em 2020

No ano passado, devido à pandemia de Covid-19, o governo criou programas para ajudar aos trabalhadores e a população em situação de vulnerabilidade social. Diante desse cenário, o governo pagou o Auxílio emergencial e o BEm (Benefício Emergencial).

publicidade
Auxílio emergencial e BEm predominam como programas mais bem pagos em 2020
Auxílio emergencial e BEm predominam como programas mais bem pagos em 2020 (Imagem: FDR)

O Auxílio emergencial foi pago em 2020 por nove meses, sendo as cinco primeiras parcelas de R$ 600 e as últimas de R$ 300. O programa contemplou mais de 68 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social, inclusive quem recebia o Bolsa Família.

O foco foi as pessoas desempregadas, trabalhadores autônomos, Microempreendedores Individuais (MEI) e beneficiários do Bolsa Família. O objetivo foi ajudar esses brasileiros a enfrentar a pandemia de Covid-19 e a crise econômica gerada.

publicidade

Porém, mesmo diante da segunda onda da pandemia o governo finalizou os pagamentos do Auxílio emergencial de 2020 no mês de dezembro. Após pressão dos parlamentares o governo iniciou mais uma rodada de pagamentos.

Além do Auxílio emergencial, o governo também pagou no ano passado o BEm. Esse programa teve como objetivo garantir o emprego dos brasileiros, mesmo diante da crise e fechamento dos estabelecimentos ou redução de horário.

Com a pandemia, as empresas tiveram que adotar medidas de proteção, como o distanciamento social e redução de jornada de trabalho. Diante disso, houve o aumento de demissões, gerando redução no quadro de funcionários.

Para evitar esse problema, o governo criou o BEm e as empresas aderiram ao programa. Esse permitiu a redução na jornada de trabalho e de salário ou a suspensão temporária do contrato de trabalho, sem a perda no valor do salário dos funcionários.

Diante disso, o BEm complementava o valor do salário do funcionário garantindo assim o recebimento integral. Assim como o Auxílio emergencial, o BEm voltou a ser pago neste ano, devido à segunda onda da pandemia.

Os dois benefícios ajudaram os brasileiros sendo considerados os programas mais bem pagos em 2020. O Auxílio emergencial, por exemplo, fez com que a renda familiar subisse entre 40% e 60%, passando de R$ 400 para mais de R$ 600.

publicidade

O aumento no rendimento familiar varia de acordo com a região, sendo mais notada no Nordeste. A causa é o fato dessa região ter o maior percentual de beneficiários do Auxílio emergencial.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.