Fila de espera liberada? Entenda MP do Auxílio Brasil que cria brecha para espera

Pontos-chave
  • Senadores aprovaram um projeto de lei que altera a legislação do novo projeto social;
  • O governo federal teria por obrigação garantir a concessão do auxílio Brasil para todos os brasileiros;
  • Com mais de 2 milhões de pessoas nas filas de espera das políticas públicas, o STF interviu na situação.

Governo federal encontra forma de manter filas de espera para o Auxílio Brasil. Na última semana, os senadores aprovaram um projeto de lei que altera a legislação do novo projeto social. Inicialmente, sob decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministério da cidadania não poderia deixar nenhum brasileiro pobre sem acesso ao abono. Porém, essa decisão foi alterada.

publicidade
Fila de espera liberada? Entenda MP do Auxílio Brasil que cria brecha para espera (Imagem: FDR)
Fila de espera liberada? Entenda MP do Auxílio Brasil que cria brecha para espera (Imagem: FDR)

O Auxílio Brasil começou a ser pago em novembro, mas ainda está com seu texto de consolidação em constante mudanças. Na última quinta-feira (02), o Senado se reuniu para debater a possibilidade de permitir filas de espera para ter acesso ao abono. A situação tinha sido proibida pelo STF, mas deve ser revertida em dezembro.

O que diz o STF?

De acordo com o Supremo, o governo federal teria por obrigação garantir a concessão do auxílio Brasil para todos os brasileiros que comprovassem situação de vulnerabilidade social.

publicidade

Isso implica dizer que o programa não poderia atuar com fila máxima de concessão, atendendo a todos aqueles que se enquadrassem em suas regras.

A decisão do STF foi motivada mediante o atual cenário de crise econômica, onde o país voltou ao mapa da fome. Há meses a população vulnerável relata estar com acesso restrito ao Cadastro Único, plataforma que permite a ingressão nos projetos sociais.

Com mais de 2 milhões de pessoas nas filas de espera das políticas públicas, o STF interviu na situação quando foi aprovado o Auxílio Brasil. Para que o novo Bolsa Família funcionasse, o governo deveria manter a rotatividade dos cadastrados, garantindo o direito de recebimento das mensalidades.

Mudanças são avaliadas no Senado

Com receio dos impactos da medida na folha orçamentária, o governo federal passou a pressionar o Senado para encontrar uma brecha que limitasse o teto fiscal do projeto. Pelo novo texto, o ministério da cidadania poderá deixar de atender quem tem direito ao benefício se não houver dinheiro reservado no Orçamento para isso.

Ficou decidido que a obrigação da inclusão total da população só poderá ser feita mediante a liberação orçamentária para a manutenção da pasta. Para justificar a mudança, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), afirmou que:

Ao longo do ano que vem, se forem se formando novos cadastros, vai ser formada uma fila, mas o Orçamento já foi aprovado e nós não temos como fazer essas pessoas serem atendidas dentro do próprio ano. Então, elas serão atendidas no ano subsequente“.

publicidade

Atualmente, quem pode receber o Auxílio Brasil?

O público alvo do programa foi anunciado pelo Ministério da Cidadania, sendo ele:

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

  • Famílias em condição de extrema pobreza (renda mensal de até R$ 89 por pessoa, segundo o padrão atual do governo)
  • Famílias em condição de pobreza (renda mensal entre R$ 89 e R$ 178 por pessoa, segundo o padrão atual do governo) com gestantes ou pessoas com idade até 21 anos

Regras de concessão do Auxílio Brasil

  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos;
  • Crianças e adolescentes com idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter, no mínimo, 85% de presença nas aulas;
  • Os jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%;
  • Crianças menores de 7 anos precisam estar com as vacinas em dia e devem comparecer ao posto de saúde para realizar o monitoramento e o acompanhamento do crescimento;
  • Gestantes devem comparecer às consultas de pré-natal e participar de atividades educativas ofertadas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento de saúde das mulheres que possuem 14 a 44 anos de idade.
publicidade

É válido ressaltar que em novembro, quando foi liberada a primeira mensalidade do projeto, foram contempladas 14 milhões de famílias. No entanto, eu seu lançamento, o Auxílio Brasil garantia a inclusão de ao menos 17 milhões de beneficiários.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!