Para Paulo Guedes, projeção de recessão em 2022 é exagerada

Paulo Guedes, ministro da Economia considerou “exageradas” as projeções de que a economia do Brasil passará por recessão em 2022, porém, admitiu que a “inflação vai incomodar mais”. 

Para Paulo Guedes, projeção de recessão em 2022 é exagerada
Para Paulo Guedes, projeção de recessão em 2022 é exagerada (Imagem FDR)

“Inflação está subindo, tipo chato, de choque de oferta, subida de custo, de energia, combustível, energia. É do tipo indigesto, muito ruim, desacelera, sim, por isso não vamos crescer 4,5%, 5%, vai crescer bem menos. Mas partir daí para dizer que vamos ter recessão, é de novo da turma da falsa narrativa. Não é isso que vai acontecer”, disse o ministro durante o 93º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic).

Guedes acredita não ser possível falar em recessão da economia no próximo ano, mas sim, em uma forte desaceleração.

“Juros subindo, justamente para combater a inflação. Está tranquilo quando os juros estiverem na frente da inflação”, falou Guedes, enaltecendo o trabalho de Roberto Campos Neto como presidente do Banco Central.

O ministro afirmou que é do tempo que a inflação se derrubava com “machadada”. “Tem toda metodologia de combate baseada nas metas de inflação, nos avisos. A geração antiga derrubava inflação a machadada”.

Guedes afirmou ainda que o desemprego está diminuindo em “alta velocidade”.

Ao ser perguntado sobre as projeções para construção civil no próximo ano, o ministro disse que 2022 será de muito barulho político. Segundo ele, haverá um crescimento menor, mas terá. 

“Nós, setorialmente, podemos minimizar o impacto se conversarmos. Temos ferramentas, seja alongamento das prestações, dos prazos, para tornar coisa compatível, seja recursos do Auxílio Brasil que vamos dar”, disse.

Por fim, Guedes falou em agilizar um pouco a abertura da economia em setores que estão exagerando nos reajustes. Ele disse que está ação é para evitar que um setor explore o outro por estar com a economia superaquecida.

PIB

Nesta quinta, 2, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que o PIB (Produto Interno Bruto) teve uma queda de 0,1% no terceiro trimestre de 2021. Como este é segundo trimestre de queda, o pais entra em uma nova “recessão técnica”.

Em outubro, a arrecadação de impostos, contribuições e outras receitas federais bateu R$ 178,742 bilhões. Este foi o melhor resultado para o período em cinco anos.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.