Pix Saque e o Pix Troco: o que muda com as novas funções do BC?

A partir desta segunda-feira (29), passaram a valer o Pix Saque e o Pix Troco. Nessas duas novas modalidades do Banco Central (BC), a população ganha mais uma opção para sacar dinheiro, além da agência bancária e caixa eletrônico. Os usuários poderão sacar dinheiro em espécie em estabelecimentos comerciais.

Segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a nova funcionalidade será oferecida gradualmente pela rede varejista. Entre as localidades onde haverá a possibilidade de sacar dinheiro físico, estão os supermercados e padarias, por exemplo.

O Pix Saque e o Pix Troco

Nessas duas modalidades, o procedimento acontece de forma parecida — por meio da realização de um Pix, da mesma forma como ocorre hoje. Contudo, existem algumas particularidades entre as novas funções.

Para sacar dinheiro pelo Pix Saque, basta que o usuário envie um Pix para o estabelecimento. A pessoa deve realizar o mesmo processo de envio de um Pix normal — a partir do aplicativo do prestador do serviço ou a partir da leitura de um QR Code mostrado ao cliente.

Nessa modalidade, a loja vai repassar a quantia integral do Pix, em dinheiro, para o usuário.

Já no caso do Pix Troco, o cliente realiza uma compra, e faz o pagamento com Pix. Contudo, o pagamento é em um valor acima das mercadorias ou serviços. Como resultado, o estabelecimento devolve o valor excedido em dinheiro.

Limite para as transações nas novas modalidades

Conforme estabelecido pelo Banco Central, o limite máximo das transações do Pix Saque e Pix Troco, durante o dia, é de R$ 500. Já durante a noite, entre 20h e 6h, o limite é de R$ 100.

Apesar disso, os estabelecimentos terão liberdade para disponibilizarem limites menores, se considerarem mais seguro e adequado. Os clientes poderão realizar até oito operações de Pix Saque ou Pix Troco gratuitas.

O comércio que oferecer o serviço receberá uma tarifa — que pode ser de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação. O pagamento será efetuado pela instituição financeira onde o usuário que realizar o saque tem conta.

1 ano de funcionamento do Pix

Neste mês de novembro, o Pix completou um ano. O presidente do Banco Central informa que o Brasil é o país que aderiu aos meios de pagamento instantânea de forma mais rápida no mundo. Este levantamento considera o número de transações per capita.

Durante o ano de funcionamento, o volume de transações foi expressivo. Em outubro, por exemplo, o Pix movimentou R$ 502 bilhões.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.