Novo critério para entrar no Auxílio Brasil pode colocar você no programa

Alteração feita pelo deputado Marcelo Aro (PP-MG) em texto enviado pelo Executivo, traz para a Medida Provisória do programa de renda Auxílio Brasil avanços com um novo critério para a entrada de famílias no benefício.

publicidade
 Novo critério para entrar no Auxílio Brasil pode colocar você no programa
Novo critério para entrar no Auxílio Brasil pode colocar você no programa (IMAGEM: FDR)

Aro afirmou que as mudanças devem ampliar o número de contemplados, passando de 14 milhões para 20 milhões de famílias. Desse modo, os gastos com o programa passam a ser de R$ 34,7 bilhões, neste ano, para R$ 85 bilhões no ano de 2022.

Ampliação de acesso ao Auxílio Brasil

Uma das medidas para ampliar o acesso aumentando o número de contemplados pelo Auxílio Brasil, foi através do relatório do deputado Marcelo Aro que aumentou a linha da extrema pobreza.

publicidade

“Estamos zerando as filas. Todo mundo que estava com demanda reprimida do Bolsa Família passará a receber imediatamente o Auxílio Brasil”, anunciou Aro.

O texto aprovado traz mudanças quanto ao número de beneficiários por residência, além de aumentar o atendimento acolhendo jovens de até 21 anos. “Na prática, muitas pessoas que não eram beneficiadas passarão a ser acolhidas pelo programa”, afirmou o relator.

Metas da Medida Provisória

O texto aprovado no último dia 25 exige que o auxílio possua metas específicas que devem ser verificadas anualmente pelo Congresso Nacional.

“Vamos trazer o debate para dentro desta Casa, junto com o Parlamento e com a sociedade civil organizada. Terão que dar satisfação sobre o que está dando certo e o que não está dando certo”, disse Marcelo Aro.

Recursos do Auxílio Brasil

O deputado falou ainda sobre os recursos do benefício, afirmando que serão garantidos pela PEC dos Precatórios.

“O correto era elevar este programa para R$ 200 bilhões. Estamos evoluindo, mas se quisermos ter um país mais justo, precisamos olhar para os mais necessitados. Sempre vão ter pessoas que dependerão do Estado para ter o mínimo para que não passem fome. Se a gente abrir mão disso, quer dizer que nós falhamos enquanto civilização”, afirmou.

publicidade

Em fala, Marcelo Aro disse discordar do argumento do governo relacionado a retirada do dispositivo que reajustada o Auxílio Brasil com base na inflação.

“Eu não concordo com o argumento do governo. Entendo a tese de que o Orçamento indexado prejudica a discricionariedade do governo para aquilo que quer investir. Mas hoje grande parte do Orçamento já é indexado. O mais pobre é o que mais sente a inflação”, comentou.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Após ser aprovada na Câmara dos Deputados na última quinta-feira, a MP será enviada ao Senado.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.