Cartão Comida Boa se torna definitivo no Paraná pagando R$ 80 para cada família

Nesta segunda-feira, 22, o Governo do Estado do Paraná decidiu tornar o Cartão Comida Boa definitivo para os cidadãos locais. A partir de agora, as 100 mil famílias de baixa renda contempladas pelo programa terão a garantia de que poderão contar com a quantia de R$ 80 pelos próximos meses. 

O Cartão Comida Boa foi criado pela gestão estadual durante e devido à pandemia da Covid-19. No ano passado o programa pagava parcelas de R$ 50, que chegou a distribuir cerca de 794 mil vouchers aos paranaenses somente entre o período de junho a agosto. Desta forma, foi possível auxiliar na movimentação de até R$ 2,7 milhões em supermercados credenciados. 

O governo paranaense informou que, para receber ou manter o Cartão Comida Boa ativo, os interessados devem se atentar à atualização dos dados cadastrais no sistema do Cadastro Único (CadÚnico).

Esse será o meio utilizado pela administração do programa através da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho para verificar o cumprimento dos critérios de elegibilidade. 

Vale ressaltar que o beneficiário do Cartão Comida Boa não pode, exclusivamente, receber nenhum tipo de transferência de renda, seja no âmbito federal ou estadual, como o Auxílio Brasil. Vale ressaltar que se tratando dos programas de Energia e Água Solidária, os consumidores devem estar cadastrados nos sites da Sanepar e da Copel.

Agora, o governo estadual promoverá o recadastramento dos cidadãos junto aos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), cujo prazo está previsto para se encerrar até o final do mês de dezembro deste ano.

Assim como os critérios implementados no Auxílio Brasil, o Cartão Comida Boa é liberado para famílias em situação de extrema pobreza, com renda mensal per capita de até R$ 100, ou de pobreza, com renda mensal per capita de até R$ 200.

De acordo com o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, “as pessoas vão poder comprar o feijão, a mistura com proteína, o básico para que não passem fome. É ajudar as famílias a terem o mínimo para se manterem. Esse é um compromisso que nós temos”, declarou.

Para o secretário de Família, Justiça e Trabalho, Ney Leprevost, trata-se de um valor que fará total diferença para as famílias que passam por dificuldades, ainda que seja uma quantia simbólica.

Este é um recurso destinado exclusivamente à compra de alimentos e, diante do cenário crítico onde os produtos alimentícios têm ficado cada vez mais caros, tornar o Cartão Comida Boa foi a maneira mais viável encontrada para amparar essas famílias.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.