Leilão do 5G: O que vai mudar para economia brasileira a partir de agora?

Nesta quinta-feira (4), começou o leilão do 5G no Brasil, a nova geração de internet móvel. Realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações, o evento representa a primeira etapa para a operação no país. Entenda o que vai mudar para a economia e a rotina dos brasileiros a partir de agora.

De acordo com o governo federal, o leilão 5G é a maior licitação da história das telecomunicações brasileiras. O leilão deve acontecer até esta sexta-feira (5). A Anatel estima que sejam arrecadados R$ 50 bilhões com o evento.

Implantação da tecnologia após o leilão do 5G

Até julho do ano que vem, o 5G deverá ser disponibilizado nas capitais e no Distrito Federal. Além disso, o cronograma seguirá dessa forma:

  • cidades com mais de 500 mil habitantes (até julho de 2025);
  • cidades com mais de 200 mil habitantes (até julho de 2026);
  • cidades com mais de 100 mil habitantes (até julho de 2027); e
  • cidades com mais de 30 mil habitantes (até julho de 2028).

O que o 5G vai mudar para economia brasileira?

Conforme o governo, esta geração de serviços moveis tem a capacidade de ser até 20 vezes mais rápida do que a anterior. Além disso, o 5G pode ter um tempo de resposta até 50 vezes maior e uma eficiência energética de até 90% acima do 4G.

O governo também alega que a tecnologia trará novos modelos de negócios, empregos e renda para milhões de pessoas. Nos próximos 20 anos, a nova tecnologia pode impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB) em aproximadamente R$ 6,5 trilhões.

O presidente Jair Bolsonaro afirma que o país tem quase 10 mil localidades pequenas que não possuem internet — e terão internet. Segundo ele, “é informação que chega na ponta da linha, essas pessoas interagindo com o Brasil e o mundo”.

Vale destacar que para usar a tecnologia 5G, será preciso ter aparelhos compatíveis. A Anatel já aprovou os requisitos para certificação destes aparelhos. Em junho do ano passado, foi lançado o primeiro smartphone homologado compatível ao 5G no país.

De qualquer modo — mesmo que a pessoa tenha um destes aparelhos compatíveis —, para que a nova tecnologia funcione, será preciso a implantação das redes pelas prestadoras. A partir do leilão, há a expectativa que haja uma oferta maior de aparelhos habilitados para o 5G no mercado nacional.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.