Cinco segredos que vão fazer você se interessar e investir na Bolsa de Valores

Pontos-chave
  • É possível investir na bolsa com poucos valores;
  • O procedimento pode ser feito de forma mais acessível;
  • A pessoa ainda pode aplicar no mercado exterior.

Cada vez mais os brasileiros passam a se interessar pelos investimentos. Apesar de parecer algo difícil de acessar, a Bolsa da Valores também vem ganhando a atenção de muitas pessoas. Conheça cinco razões pelas quais você poderá se interessar e investir na Bolsa de Valores.

Cinco segredos que vão fazer você se interessar e investir na Bolsa de Valores
Cinco segredos que vão fazer você se interessar e investir na Bolsa de Valores (Imagem: Montagem/FDR)

A bolsa de valores representa o ambiente de negociação. Neste local, os investidores têm a possibilidade de comprar e vender diversos ativos. Para quem negocia na bolsa, o objetivo é de obter lucros com as aplicações.

No Brasil, a única bolsa existente é a B3 (Brasil, Bolsa, Balcão). Ela é resultado da fusão entre a Bovespa, Cetip e BM&F. Para aplicar na bolsa de valores, o interessado deve ter cota em uma corretora de valores — que realiza a ponte entre a bolsa e os investidores.

1. Diversas pessoas podem investir na bolsa de valores

Mesmo que muitos acreditem que a bolsa de valores seja apenas para pessoas ricas, o investimento pode ser feito por qualquer um. Para isso, o interessado em aplicar precisa abrir conta em corretora. Por meio da plataforma home broker, é possível operar em casa, por exemplo.

2. É possível investir com pouco dinheiro

O investidor com pouco capital também pode investir na bolsa. As pessoas podem encontrar ações com valores abaixo de R$10.

Sendo assim, dependendo dos objetivos pessoais, ainda há a possibilidade de aplicar uma parcela menor na renda variável — do modo a manter a segurança em investimentos conservadores.

3. Usuário pode ter mais facilidade de acesso

Devido ao desenvolvimento da tecnologia, investir na bolsa vem se tornando cada vez mais acessível. Ao utilizar plataformas online, a pessoa poderá gerenciar as aplicações.

Além disso, será possível realizar as transações — como venda e compra de ações —, investir em contratos futuros, commodities, índices e moedas.

4. investidor pode se tornar sócio de grandes companhias

Por meio da bolsa, há a possibilidade de variar o patrimônio. Ao realizar a compra de ações, o cidadão se torna sócio da empresa. Conforme a companhia apresenta crescimento, as oportunidades de elevar o dinheiro são maiores.

Diante da valorização do preço a ação, é possível receber uma parcela do lucro distribuído — com possíveis bonificações e dividendos.

5. Aplicações podem ser feitas no mercado exterior

Cada vez mais, o investimento no exterior se torna acessível. Ao aplicar desse modo, a pessoa pode expor a carteira às moedas internacionais. Além disso, há a possibilidade de comprar participações em lucros de instituições que atuam fora do Brasil.

Como investir na bolsa de valores

Para investir na bolsa de valores, o primeiro passo é abrir conta em uma corretora de valores. Mediante essa corretora, a pessoa poderá conseguir entrar na plataforma de negociação — o home broker.

O procedimento também pode ser realizado via grandes bancos de varejo. Contudo, é possível ter que lidar com altas taxas de administração e de custódia para os investidores.

Depois de escolher a corretora, será preciso transferir o dinheiro para a conta que foi aberta. Neste sentido, há a recomendação de realizar um planejamento financeiro.

Em seguida, o usuário deverá escolher que serão os ativos a serem aplicados. As escolhas podem ser decididas de acordo com os ativos que se enquadram no perfil — e nos objetivos pessoais. Depois de realizar a aplicação, basta esperar os resultados.

O cidadão poderá saber quais são as aplicações mais indicadas por meio da análise do perfil de investidor. A pessoa pode ser classificada entre o perfil conservador, moderado e arrojado (ou agressivo).

O investidor conservador tende a priorizar a segurança nos investimentos. Ele possui baixa tolerância ao risco, e tem mais necessidade de preservar o patrimônio. Geralmente, esse perfil investe em ativos de renda fixa.

O perfil moderado se refere ao investidor que aceita mais risco, em busca de uma rentabilidade maior. Ele tende a realizar aplicações mais conservadoras — mas aceita ativos mais arriscados, podendo investir uma parte em produtos de renda variável.

Já o perfil arrojado procura os melhores retornos. Diante disso, ele abre mão de uma parcela da segurança, aplicando uma parcela maior da carteira em ativos mais arriscados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.