Por que abastecer carros na Argentina é mais barato? Descubra o valor

Devido ao aumento dos combustíveis no país, os brasileiros têm atravessado a fronteira para abastecer em Porto Iguaçu, na Argentina. Segundo a RPC, afiliada da Globo no Paraná, o valor da gasolina é metade do encontrado nos postos do Brasil. Entenda por que abastecer carros na Argentina é mais barato.

Por que abastecer carros na Argentina é mais barato? Descubra o valor
Por que abastecer carros na Argentina é mais barato? Descubra o valor (Imagem: Montagem/FDR)

O município de Porto Iguaçu é ligado ao Brasil por Foz do Iguaçu, que fica no oeste do Paraná. O litro da gasolina super — correspondente à aditivada no Brasil — tem o valor equivalente a R$ 3,10.

Já ao considerar Foz do Iguaçu, o valor médio do litro da gasolina é de R$ 6,14, conforme a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

No acumulado anual, a gasolina no Brasil teve aumento de 73,4%. De janeiro a outubro, houve onze reajustes. Entre 24 e 30 de outubro, 13 estados brasileiros tiveram o preço da gasolina acima de R$ 7, conforme a ANP. Neste período, a média nacional foi de R$ 6,56.

Nem mesmo a necessidade de realizar o teste de covid-19 na aduana argentina — e o tempo de espera na fila — fez com que um brasileiro deixasse de abastecer fora do país, em busca de combustível por um preço menor.

De acordo com uma gerente, 90% dos clientes nos últimos dias eram brasileiros. Por conta disso, chegou a faltar combustível nas bombas. Como resultado desse risco de desabastecimento, os próprios argentinos passaram a entrar na fila. Algumas pessoas levaram combustível no galão.

De modo a organizar o atendimento, esses postos adotaram fila para brasileiro e para argentino.

Por que abastecer carros na Argentina é mais barato?

À RPC, o economista Nilson Nagata afirma que o poder aquisitivo na Argentina diminuiu. Para a população argentina, o preço do combustível é caro — Mas não para os brasileiros. Ele argumenta que, atualmente, o câmbio é favorável em relação ao peso argentino.

Por conta do grande fluxo de brasileiros nos postos da cidade argentina, grande parte destes estabelecimentos passou a aceitar pagamento em real. Diante dessa alta demanda, até mesmo a dona de um dos postos precisou começar a atender os motoristas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.