Novo Bolsa Família: O que esperar do programa com regras e valores diferenciados?

Pontos-chave
  • Auxílio Brasil pagará R$ 400 a partir de dezembro em diante;
  • Na fase do auxílio transitório, 17 milhões de beneficiários serão contemplados pelo novo programa;
  • Inclusão no novo Bolsa Família será feita por meio do Cadastro Único;

Após mais de um ano de espera e promessas, o novo Bolsa Família finalmente começará a vigorar. O Governo Federal através dos ministérios da Cidadania e Economia afirmou que a primeira parcela começará a ser paga a partir do dia 17 deste mês. 

Novo Bolsa Família: O que esperar do programa com regras e valores diferenciados?
Novo Bolsa Família: O que esperar do programa com regras e valores diferenciados? (Imagem: FDR)

O Auxílio Brasil será o substituto do tradicional Bolsa Família, que após 18 anos em vigor, terminou na última semana junto aos pagamentos do auxílio emergencial. O novo programa de transferência de renda é a grande promessa do governo do atual presidente, Jair Bolsonaro. 

Durante toda a sua carreira política, Bolsonaro foi contra a oferta de programas e benefícios sociais, sobretudo, o próprio Bolsa Família. Ao longo dos anos, ele foi um crítico ferrenho ao partido criador do Bolsa Família, o Partido dos Trabalhadores (PT), mas agora, resolveu deixar todo o histórico polêmico de lado em prol do Auxílio Brasil. 

A própria equipe de Bolsonaro declarou diversas vezes que o novo Bolsa Família nada mais é do que uma estratégia de campanha à qual Bolsonaro depositou as esperanças. O empenho na efetivação da nova transferência de renda ocorre, sobretudo, após Bolsonaro notar a queda na aprovação dos eleitores. 

Beneficiários do novo Bolsa Família

O novo Bolsa Família seguirá o mesmo padrão do extinto programa social. Isso quer dizer que os beneficiários devem se enquadrar nas linhas de pobreza e extrema pobreza, cuja renda per capita mensal varia de R$ 89 a R$ 178. O antigo programa contemplava 14,6 milhões de famílias, enquanto a promessa para a atual oferta é de 17 milhões. 

No entanto, o Governo Federal informou que, por hora, não será possível incluir a quantidade de beneficiários extras mencionada, pois não há verba em caixa para amparar toda essa população.

Por isso, estratégias foram traçadas no sentido de promover a ampliação do novo Bolsa Família a partir do mês de dezembro deste ano, no que se caracterizará como uma espécie de auxílio transitório. 

Como ser incluído no novo Bolsa Família 

Conforme mencionado, o novo programa continuará seguindo o padrão do extinto Bolsa Família, isso quer dizer que o meio de inclusão continua o mesmo, ou seja, através do Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.

No que compete aos 14,6 milhões que já recebiam o benefício até o mês passado, basta que façam a atualização cadastral, embora não seja uma obrigatoriedade por hora. 

Enquanto isso, os novos 2,4 milhões de beneficiários precisam procurar o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo na cidade em que reside, e apresentar a seguinte documentação:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI) para famílias indígenas e quilombolas;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Comprovante de residência recente (conta de água ou luz dos últimos três meses).

É importante ressaltar que a inscrição deve ser feita por um único membro do grupo familiar, de preferência mulher. No entanto, é preciso reunir todos os documentos conforme mencionado assim, de todos os integrantes da família. 

Valor do novo Bolsa Família 

A grande promessa do Governo Federal para o novo Bolsa Família, é pagar parcelas de até R$ 400. A quantia que é o dobro da oferta original do antigo programa, será capaz de amparar minimamente a população brasileira em situação de vulnerabilidade social.

Mas considerando que a fonte oficial de financiamento do programa permanece incerta, esse valor será pago somente de dezembro de 2021 em diante. 

Por hora, haverá um reajuste na margem de 20% sobre a média paga pelo auxílio emergencial. Em dezembro, o Governo Federal pretende pagar um benefício retroativo complementar ao que deveria ser pago integralmente em novembro. Na prática, os valores do novo Bolsa Família serão pagos da seguinte maneira:

  • Novembro: R$ 240 – média atual com a correção de 20%;
  • Dezembro: R$ 560 – R$ 240 do Auxílio Brasil + R$ 160 para atingir o valor mínimo + R$ 160 para complementar a parcela do mês de novembro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.