Auxílio Brasil ou auxílio emergencial em 2022? Bolsonaro garante decisão nesta semana

Presidente se pronuncia sobre agenda social do país. Nessa segunda-feira (18), Jair Bolsonaro afirmou que estará definindo até o fim dessa semana qual será o programa que auxiliará a população de baixa renda. O chefe de estado vem analisando a possibilidade de estender o auxílio emergencial ou consolidar o Auxílio Brasil.

Auxílio Brasil ou auxílio emergencial em 2022? Bolsonaro garante decisão nessa semana (Imagem: FDR)
Auxílio Brasil ou auxílio emergencial em 2022? Bolsonaro garante decisão nessa semana (Imagem: FDR)

Parece que finalmente a população poderá saber quais os benefícios sociais serão mantidos em 2022. De acordo com Bolsonaro, a decisão será tomada esta semana. Em uma cerimônia realizada em Minas Gerais, ele afirmou já estar com as propostas e que dará sua validação até esta sexta-feira (22).

“Se Deus quiser, nós resolveremos esta semana a extensão do auxílio emergencial, como devemos resolver também esta semana a questão do preço do diesel”, disse o presidente.

“Até digo para vocês, a questão do auxílio emergencial, que está batido o martelo no seu valor juntamente ao Paulo Guedes [ministro da Economia] e outros ministros no sábado, é um valor para dar dignidade a esses necessitados. O ideal é que todos tivessem seu ganha-pão, tivesse emprego, mas as consequências da pandemia agravaram essa questão e não somos insensíveis a esses mais necessitados”, completou.

Quem tem mais chances, auxílio emergencial ou o Auxílio Brasil?

De acordo com analistas políticos e econômicos há uma grande probabilidade de o governo optar pela permanência do auxílio emergencial. Isso porque, o novo Bolsa Família não coube dentro das limitações do orçamento público.

Sem recursos para seu custeio, Bolsonaro ficará sem opções resolvendo então manter o auxílio emergencial. É válido também ressaltar que pelo atual programa o presidente tem uma maior facilidade para fazer reajustes e aplicar cortes na folha orçamentária.

Mensalmente os segurados do auxílio emergencial são desligados no então pente fino do programa que não tem seus critérios de exclusão publicamente determinados. Isso significa dizer que sua liberação permite uma maior facilidade para folgar as contas da União.

No entanto, com relação a população, o programa permanecerá sem um retorno efetivo. Diante do atual cenário de crise econômica e inflação em alta, o auxílio emergencial não se mostra suficiente nem mesmo para o abastecimento de alimentos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.