Open Banking começa nova fase a partir deste mês; saiba impactos para você

A partir do dia 29 de outubro, o Open Banking avança para a terceira fase. Nessa etapa, está prevista a iniciação de transações de Pix por iniciadores de transação de pagamento. A terceira fase contará com a entrada gradual dos demais arranjos de pagamento.

Open Banking começa nova fase a partir deste mês; saiba impactos para você
Open Banking começa nova fase a partir deste mês; saiba impactos para você (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

De acordo com Banco Central, na terceira fase do Open Banking, surge a possibilidade de compartilhar os serviços de transações de pagamento — e de encaminhar a proposta de operação de crédito.

Essa etapa permitirá o surgimento de novas soluções e ambientes para realizar pagamentos, e para a recepção de propostas de operações de crédito. Com isso, a população poderá ter acesso a serviços financeiros de modo facilitado. Estes serviços poderão ser encontrados por meio de canais mais convenientes.

Assim como no caso geral do Open Banking, nesses casos, o compartilhamento acontece apenas com a autorização prévia e específica do cliente.

Sobre as formas de pagamento, as novas possibilidades poderão ser iniciadas por meio do Open Banking a partir de datas específicas:

  • 29 de outubro de 2021 – pagamento com Pix
  • 15 de fevereiro de 2022 – pagamentos com TED e transferência entre contas na mesma instituição
  • 30 de junho de 2022 – pagamento de boletos
  • 30 de setembro de 2022 – pagamentos com débito em conta

Para a modalidade de encaminhamento de proposta de crédito, o Banco Central prevê que a implementação será no dia 30 de março de 2022.

A partir dessa data, os clientes terão como solicitar, em ambientes eletrônicos, propostas de crédito — como financiamentos e empréstimos — a diversas instituições ao mesmo tempo. Com isso, será mais fácil de comparar prazos, taxas e demais condições.

A integração da terceira etapa do Open Banking com o sistema Pix

No dia a dia, o consumidor que quiser fazer um pagamento, por meio de uma loja virtual, não precisará mais compartilhar os dados de um QR Code — para acessar o aplicativo do banco e enviar um Pix.

Nessa nova fase, o vendedor poderá fazer a intermediação diretamente entre a conta do cliente e a do respectivo estabelecimento.

Isso acontece por meio do Iniciador de Transação de Pagamento (ITP). Os iniciadores de pagamentos são as empresas autorizadas pelo Banco Central para iniciar as transferências e pagamentos para a população.

Essa função permite, por exemplo pagamentos por redes sociais ou aplicativos de mensagens utilizando cartões de débito. Neste ano, o WhatsApp teve a aprovação para se tornar um iniciador de pagamentos.

Sendo assim, o iniciador de pagamentos terá como efetuar transações disponibilizando o Pix como alternativa. Com esse serviço de ITP, haverá o encurtamento de etapas até a finalização do pagamento em uma loja virtual. Vale destacar que o Pix, como é conhecido atualmente, continuará existindo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA