PIS/PASEP 2022 terá R$ 21 bilhões para gastar com 23 milhões de trabalhadores

Governo federal define orçamento do PIS/PASEP 2022. Devido à crise econômica e os impactos do novo coronavírus, os trabalhadores brasileiros não tiveram acesso ao abono salarial em 2021. No entanto, a partir do próximo ano, o ministério da economia deve investir cerca de R$ 21 bilhões na pasta do programa.

PIS/PASEP 2022 terá R$ 21 bilhões para gastar com 23 milhões de trabalhadores (Imagem/Reprodução: O Dia)
PIS/PASEP 2022 terá R$ 21 bilhões para gastar com 23 milhões de trabalhadores (Imagem/Reprodução: O Dia)

A concessão do PIS/PASEP ficou suspensa durante os últimos meses. O cidadão que exerceu suas atividades de trabalho em 2020 não pode ter acesso ao abono salarial, uma vez em que o governo federal suspendeu sua liberação para repassar o orçamento para demais projetos.

Já a partir de fevereiro de 2022, a equipe economia afirmou que estará fazendo o pagamento das mensalidades com o valor de até R$ 1.100. A previsão é de que cerca de 22,2 milhões de brasileiros sejam contemplados, o que significa um custo de R$ 17 bilhões, contabilizado somente pelo PIS.

O PASEP, por sua vez, irá liberar cerca de R$ 95 milhões para 140 mil brasileiros que não fizeram o saque passado. Durante o abono de 2020/2021, ficam identificados 2,7 milhões de segurados, com um custo de R$ 2,6 bilhões.

Quem tem direito ao PIS/PASEP?

  • Atuar com carteira assinada pelo período mínimo de cinco anos;
  • Receber uma média mensal de dois salários mínimos no decorrer do ano-base;
  • Ter exercido atividade remunerada para pessoa jurídica por, pelo menos, 30 dias no ano-base, sendo consecutivos ou não;
  • Ter os dados pessoais e trabalhistas devidamente registrados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Valores pagos equivalente ao tempo de trabalho

Para saber quanto vai receber, o segurado deve contabilizar o período em que esteve de carteira assinada. Considerando o salário mínimo de 2021, o repasse ficará em torno de:

  • 1 mês: R$ 92,00;
  • 2 meses: R4 184,00;
  • 3 meses: R$ 275,00;
  • 4 meses: R$ 367,00;
  • 5 meses: R$ 459,00;
  • 6 meses: R$ 550,00;
  • 7 meses: R$ 642,00;
  • 8 meses: R$ 734,00;
  • 9 meses: R$ 825,00;
  • 10 meses: R$ 917,00;
  • 11 meses: R$ 1.009,00;
  • 12 meses: R4 1.100,00.

No entanto, vale lembrar que o salário mínimo será reajustado a partir de janeiro de 2022. Logo, os valores pagos no abono salarial também serão modificados.

Documentos que constam número do abono salarial

  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • Extrato do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);
  • Cartão Cidadão;
  • Agência da Caixa Econômica Federal (CEF);
  • Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA