Governo de SP cria auxílio de R$ 500 para desempregados e pais de alunos

Governo de São Paulo consolida uma série de políticas públicas sociais para minimizar os impactos do novo coronavírus. Diante da permanência da pandemia, diversos estados passaram a elaborar suas próprias ações de incentivo ao mercado de trabalho. No Sudeste, os pais dos alunos da rede pública foram contratados como fiscais.

Governo de SP cria auxílio de R$ 500 para desempregados e pais de alunos (Imagem/Reprodução: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Governo de SP cria auxílio de R$ 500 para desempregados e pais de alunos (Imagem/Reprodução: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Há meses o país vem sentindo os efeitos da covid-19 e nem mesmo o auxílio emergencial tem sido capaz de minimizar os impactos econômicos da doença.

Diante de tal situação, o governo de São Paulo criou o programa Bolsa do Povo Educação, que tem como finalidade empregar a população em situação de vulnerabilidade.

Detalhes sobre o Bolsa do Povo Educação

Em funcionamento desde julho, o projeto permitiu a contratação de cerca de 20 mil familiares dos alunos da rede pública de ensino. Eles estão atuando nas escolas do estado, como fiscais para que os estudantes respeitem as medidas de distanciamento.

Com isso, cada colaborador tem o direito há uma bolsa auxílio de R$ 500 por mês, sendo necessário trabalhar 4h por dia até o mês dezembro. As inscrições começaram no dia 19 de julho e foram encerradas em 31 do mesmo mês.

Regras do projeto

Para poder se candidatar, os pais ou responsáveis precisaram comprovar a situação de vulnerabilidade social, estando registrado no CadÚnico ou desempregados há pelo menos 3 meses. Ao todo, o programa contou com o investimento de R$ 60 milhões.

“Um dos grandes objetivos [do programa] vai ser colocar todo o estado, toda nossa força, para a força ativa, o apoio à Educação especial, que é fundamental, especialmente neste retorno das aulas, acompanhamentos de protocolos sanitários e apoio geral à escola”, afirmou o secretário da Educação Rossieli Soares.

Quem pôde participar do programa prioritariamente:

  • Responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família);
  • Estar desempregado há pelo menos três meses;
  • Ter entre 18 e 59 anos;
  • Morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros).
  • Estar cadastrado no CadÚnico;
  • Ter filho estudando na escola de interesse;
  • O familiar do aluno terá que indicar o interesse em trabalhar em até três escolas públicas estaduais dentro do perímetro onde mora.

Documentos necessários para validação do benefício

  • RG/CPF do familiar do aluno
  • A. do aluno (verificar na escola se necessário)
  • Endereço
  • Três escolas de interesse

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4.5
Total de Votos: 4

Governo de SP cria auxílio de R$ 500 para desempregados e pais de alunos

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA