Por que crédito financeiro pode diminuir com início do Open Banking?

Começou hoje, 13, a segunda fase do Open Banking. Esta fase que tinha previsão de início no mês passado, tem como principal objetivo aumentar a segurança e a proteção de dados dos clientes. 

Por que crédito financeiro pode diminuir com início do Open Banking?
Por que crédito financeiro pode diminuir com início do Open Banking? (Imagem: CIO)

O foco deste sistema financeiro aberto é o compartilhamento de forma padronizada dos dados e serviços pelas instituições financeiras reguladas.

Através do Open Banking, os clientes podem autorizar que seus dados sejam compartilhamos com outras instituições.

Este movimento na visão do Banco Central, irá aumentar a competitividade entre os bancos e melhorar os produtos e serviços oferecidos.

O sistema foi dividido em quatro fases que serrano implementadas ao longo do ano.

A primeira fase foi implementada em fevereiro e, com ela, os dados das 1.065 instituições participantes começaram a ser compartilhados. A terceira fase tem previsão de início em   30 de agosto e a quarta, em 15 de dezembro.

O diretor de Regulação do BC, Otávio Damaso, disse em fevereiro, que o público-alvo eram “as próprias instituições financeiras ou de pagamento, desenvolvedores, fintechs e acadêmicos”.

Nesta primeira fase, somente os canais de atendimento, localização de agências, caixas eletrônicos e produtos e serviços oferecidos por cada instituição foram divulgados.

Segunda fase do open banking

Nesta segunda fase, a promessa é que os clientes tenham a opção de compartilhar seus cadastros e suas informações sobre transações financeiras ligadas a suas contas, cartão de crédito e operações de crédito com outras instituições.

Como compartilhar meus dados no Open Banking?

Quem desejar compartilhar os dados com outras instituições, deve utilizar o aplicativo ou site autenticado do banco que é cliente.

Sendo assim, se você é cliente do Nubank e deseja compartilhar seus dados e informações bancárias com o Bradesco, por exemplo, pode utilizar o aplicativo da fintech.

A ideia é fazer com que o Bradesco analise seu perfil e consiga oferecer serviços que mais se adequam a cada cliente com base no histórico de crédito com o outro banco.

O compartilhamento é feito por um período determinado e precisa atender um objetivo específico. Sendo assim, o Bradesco determina um prazo para utilizar as informações do cliente do Nubank.

Os clientes podem parar de compartilhar seus dados quando desejar. Nenhuma instituição pode utilizar as informações do cliente sem a autorização do mesmo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.