Governador de MG anuncia fim do parcelamento do salário dos servidores

Na última sexta-feira, 16, o Governo de Minas Gerais comunicou que não irá mais parcelar o salário dos servidores estaduais. O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo), ao afirmar que do mês de agosto em diante os pagamentos ocorrerão integralmente a partir do quinto dia útil. 

Governador de MG anuncia fim do parcelamento do salário dos servidores
Governador de MG anuncia fim do parcelamento do salário dos servidores. (Imagem: Estado de Minas)

Uma parcela do funcionalismo público sofria com o recebimento do salário em dia desde 2016, época em que o Estado de Minas Gerais era governado por Fernando Pimentel (PT) e enfrentava sérios problemas financeiros.

Romeu Zema, por sua vez, está à frente da administração estadual desde 2019, e celebra a conquista que, segundo ele, será capaz de beneficiar tanto os servidores ativos, quanto os inativos e os pensionistas. 

Ele ressaltou que a prática de parcelar os salários dos servidores estaduais era um incômodo que finalmente foi resolvido após o empenho em aumentar as receitas do Estado.

Outra atitude que também influenciou neste sentido foi a venda da folha de pagamento através de um pregão eletrônico. De agora em diante o banco Itaú é responsável por arcar com o salário dos servidores do Estado. 

O Itaú fez uma oferta de 18% a mais do que a quantia pedida pelo Estado. A folha de pagamento dos servidores mineiros foi vendida à instituição financeira por R$ 2,42 bilhões, sendo que o lance mínimo exigido pelo Estado era de R$ 2,052 bilhões. 

Esta não é a primeira vez que o Estado terceiriza o pagamento dos salários dos servidores. A última vez que essa medida foi adotada foi no ano de 2016, época em que a venda contou com o pagamento de R$ 1,39 bilhão à vista, enquanto os R$ 460 milhões restantes foram parcelados em 60 vezes. 

Agora, o pagamento será integral durante o período de vigência do contrato entre o Governo de Minas e o banco Itaú, que continua a ser de cinco anos. Vale ressaltar que na gestão de Fernando Pimentel o salário dos servidores chegou a ser pago em três parcelas. 

A quantidade exata dependia da faixa salarial de cada servidor. A partir do momento em que Romeu Zema tomou posse do cargo, a remuneração foi repassada em duas vezes, no máximo, até a situação ser regularizada. 

Na oportunidade, o secretário de Estado de Fazenda de Minas Gerais, Gustavo Barbosa, informou que 70% dos servidores recebiam o salário no quinto dia útil de cada mês, enquanto os demais eram remunerados nos últimos dias do período mensal. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.