PIX offline: Tudo o que ninguém te contou sobre nova solução do BC

No último dia 30 de junho, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto confirmou que está sendo desenvolvida uma funcionalidade offline para que as transações via Pix possam ser feitas mesmo em locais que estejam sem conexão com a internet. De acordo com ele, essa tecnologia será disponibilizada “em breve”.

PIX offline: Tudo o que ninguém te contou sobre nova solução do BC
PIX offline: Tudo o que ninguém te contou sobre nova solução do BC (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O presidente disse que são 3 alternativas que estão sendo estudadas, mas a mais segura até o momento é a utilização de um cartão por aproximação que poderá ser carregado pelo usuário.

“Vai funcionar como um cartão de ônibus, com uma tecnologia supersegura”, afirmou, durante um seminário sobre moedas digitais promovido pela banca Mattos Filhos Advogados.

“Você vai poder usar o cartão no mundo offline e, quando voltar para o mundo online vai poder transferir seu saldo de volta”, explicou Campos Neto.

Ele destacou o alcance do Pix e apresentou dados que mostram que a nova forma de transferir dinheiro já é utilizada em 60% das transferências no Brasil.

O sistema foi lançado no ano passado, pelo Banco Central. Ele permite a realização de pagamentos e transferências instantâneas 24 horas, nos sete dias da semana, entre pessoas físicas e jurídicas.

Tudo por meio de uma chave simples atribuída a cada conta bancária. Tal chave pode ser um número de telefone, CPF ou CNPJ, por exemplo.

Como aderir ao PIX?

Para aderir ao Pix é necessário que o usuário crie uma chave Pix. Essa chave pode ser criada usando os canais de atendimento do banco ou instituição financeira onde tem conta.

Como fazer pagamento com PIX?

No momento de realizar a transação, a opção do Pix vai aparecer no aplicativo ao lado da TED ou DOC.

Depois, só escolha-la e digitar a chave informada pelo destinatário do pagamento.

Outras funções

Os saques em lojas, o usuário deve realizar uma transferência Pix para um estabelecimento comercial e retirar o valor em dinheiro. Com isso, pode ser feito um repasse em um valor maior que a compra e a retirada da diferença no caixa.

O pagamento por aproximação pode ser feito pelo celular, para isso basta aproximar o celular da maquininha de cartão, que debita o valor por meio da transação. 

Já para a iniciação do pagamento, será criado uma instituição financeira, com capital mínimo de R$1 milhão, no qual serão executadas as transferências, mas não participarão do fluxo financeiro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.