São Paulo estuda plano para antecipar novamente calendário de vacinação

O Governo do Estado de São Paulo tem se mobilizado na tentativa de antecipar o calendário de vacinação contra a Covid-19 novamente. A meta é vacinar toda a população geral com mais de 18 anos até o dia 15 de setembro de 2021. 

São Paulo estuda plano para antecipar novamente calendário de vacinação
São Paulo estuda plano para antecipar novamente calendário de vacinação. (Imagem: Zanone Fraissat/Folhapress/VEJA)

O otimismo quanto à possibilidade de efetivar a antecipação do calendário de vacinação está relacionado à evidente agilidade na aplicação de doses do imunizante na população paulista durante a última semana. Na ocasião, a faixa etária de 50 anos foi a que mais compareceu aos postos de vacinação. 

Os estudos do Governo de SP também se baseiam no cumprimento do cronograma de entrega de doses da vacina da Covid-19 por parte do Ministério da Saúde. Portanto, entende-se que se o Governo Federal atrasar a distribuição do imunizante, a antecipação do calendário de vacinação não será possível. 

No entanto, sabe-se que não serão todos os adultos que comparecerão aos pontos de vacinação na data prevista para cada grupo ou até mesmo após este período.

Dados obtidos pelo Datafolha no mês de maio, apontam que 8% dos entrevistados não pretendem ser imunizados, destes 12% integram a faixa etária de 35 a 44 anos. 

Enquanto isso, 15% da população com 60 anos de idade ou mais ainda não receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 até o dia 13 de junho no Estado de São Paulo.

No que compete aos idosos com 70 anos ou mais, 8% também não tomaram a primeira dose do imunizante. Lembrando que o calendário de vacinação deste grupo teve início no dia 8 de fevereiro, para a faixa de 90 anos em diante. 

Até o início do calendário de vacinação no Brasil, 77% das mortes relacionadas à Covid-19 atingiram adultos com 60 anos ou mais, número que caiu para 49% após verificação feita na última semana.

Porém, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também é um dos que se mostram otimistas quanto à aceleração do calendário de vacinação não apenas em São Paulo, mas em todo o Brasil.

Ele reforçou que desde que assumiu a pasta, o país começou a adquirir uma série de imunizantes contra a doença. Até então, foram mais de 80 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 distribuídas entre todos os Estados e municípios brasileiros. 

“Isso não é pouco. Com o progresso da campanha de vacinação, nós entendemos que, a partir de setembro, é possível haver um cenário epidemiológico mais favorável no Brasil”, ressaltou o ministro da Saúde. 

O cumprimento dos prazos de entrega de doses da vacina da Pfizer também é forte indicativo sobre a antecipação do calendário de vacinação da Covid-19.

De acordo com o cronograma firmado entre a farmacêutica e o Governo Federal, todas as doses devem ser entregues entre julho, agosto e setembro. O esquema se refere a: 23% da AstraZeneca, 28% da Coronavac e 49% da Pfizer.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.