Projeto de Guedes visa distribuir alimentos desperdiçados aos brasileiros mais pobres

No dia 17, o ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou que o governo vai estudar formas de direcionar alimentos desperdiçados pelas famílias brasileiras para os programas sociais. Incluindo o Bolsa Família, que está em processo de reformulação.

Projeto de Guedes quer distribuir alimentos desperdiçados aos programas sociais
Projeto de Guedes quer distribuir alimentos desperdiçados aos programas sociais (Imagem: Reprodução Revista Fórum)

O governo quer aumentar o número de famílias beneficiadas e o valor pago no programa social, que deve mudar de nome. No início da semana, o presidente Jair Bolsonaro falou em pagar R$ 300 mensais, hoje o valor máximo é R$ 190.

“Pode ser parte desse programa que vamos lançar (…). É a gente justamente facilitar essa conexão entre as políticas sociais, de um lado, e o desperdício que ocorre do outro”, disse Guedes.

Guedes sugere a criação de um incentivo para intermediar o que seria jogado fora aos programas sociais. “Como se fossem postos de atendimento, para que isso possa ser endereçado aos mais necessitados”, completou.

Quanto alimento é desperdiçado no Brasil?

No ano de 2019, o Jornal Nacional apontou em uma reportagem que cada brasileiro manda para o lixo mais de 41 quilos de comida por ano.

Sendo assim, uma família com cerca de 3 moradores, esse volume chega perto dos 130 quilos por ano. O país descarta, por ano, quase 37 milhões de toneladas de lixo orgânico, basicamente restos de alimentos. Isso é quase 50% de todo o lixo recolhido no país.

“Você vê um prato de um [cidadão] classe média europeu, que já enfrentou duas guerras mundiais, são pratos relativamente pequenos. E os nossos aqui, fazemos almoços onde às vezes há uma sobra enorme. E isso vai até o final, que é a refeição da classe média alta. Até lá, há excessos”, disse o ministro da Economia.

De acordo Guedes, um grupo interministerial será formado com as pastas de Cidadania e de Agricultura para debater o tema. O ministro não informou data para o anúncio de uma proposta final.

O que já está sendo feito?

No ano de 2020, o presidente Bolsonaro sancionou um projeto que autoriza estabelecimentos como bares e restaurantes a doarem refeições ou alimentos prontos que não forem vendidos.

A proposta vale desde que os itens ainda estejam próprios para o consumo, e a punição só ocorrerá se ficar comprovado que algo estragado foi doado de forma intencional.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.