Vacinação de profissionais de educação ganha novas regras no Brasil

Na última sexta-feira, 28, o Ministério da Saúde divulgou um cronograma de vacinação contra a Covid-19 específico para os profissionais da educação. O órgão ainda informou também sobre a imunização de adultos fora do grupo prioritário, com idade entre 18 a 59 anos de idade. 

Vacinação de profissionais de educação ganha novas regras no Brasil
Vacinação de profissionais de educação ganha novas regras no Brasil. (Imagem: Amanda Perobelli/Reuters)

Lembrando que a vacinação segue o Plano Nacional de Imunização (PNI) elaborado pela pasta. No entanto, algumas particularidades foram implementadas com o intuito de atender este grupo.

Neste sentido, a assessoria do ministério informou que serão contemplados não apenas os profissionais da educação, como também, os servidores que atuam na faxina, portaria e manutenção das instituições de ensino pelo país. 

Esta etapa da vacinação contra a Covid-19 será direcionada principalmente aos professores de creches e pré-escolas. A imunização seguirá esta sequência: 

  • Creches;
  • Pré-escolas;
  • Ensino fundamental;
  • Ensino médio;
  • Ensino profissionalizante;
  • Educação de jovens e adultos (EJA);
  • Ensino superior (grupo prioritário nº 19).

Vale ressaltar, que a inclusão dos profissionais da educação consiste no 18º e 19º grupos prioritários do PNI. Enquanto isso, a imunização dos adultos fora do grupo prioritário com idade entre 18 a 59 anos, acontecerá em ordem decrescente, dos mais velhos para os mais novos. 

A decisão de antecipar a vacinação dos profissionais da educação foi tomada após constatar a demanda amena da inclusão de novos grupos prioritários na campanha por parte dos Estados e municípios brasileiros. Portanto, houve o entendimento de que esta inserção será viável. 

Outro fator que contribuiu para esta medida foi a de que o ambiente escolar é capaz de reunir uma quantidade expressiva de pessoas em um único ambiente. Agravando o risco de exposição ao vírus, especialmente devido à falta de imunização destes profissionais.

Lembrando que também têm surgido casos de crianças infectadas pela Covid-19, tornando este cenário ainda mais severo.

“A justificativa para a antecipação da vacinação deste grupo diz respeito aos importantes impactos sociais ocasionados pela covid-19 na educação infantil com a necessidade de volta às aulas presenciais. Estes impactos seguramente estão sendo mais importantes justamente nos grupos sociais menos favorecidos”, diz o texto.

O texto ainda ressalta que a estratégia de vacinação se trata de uma responsabilidade das três esferas do Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, federal, estadual e municipal.

Portanto, embora a base para organização deva respeitar o PNI, os Estados e municípios terão autonomia para elaborarem o esquema vacinal próprio de acordo com as necessidades específicas de cada localidade.

https://www.youtube.com/watch?v=_Cheg_rqXVY

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Vacinação de profissionais de educação ganha novas regras no Brasil

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA