Europa recebe turistas desde que estejam imunizados com ESTA vacina

Na última semana, o Conselho Europeu, que engloba os governos dos 27 países da União Europeia, decidiu relaxar as determinações para a entrada de turistas de fora do bloco. Porém, cada Estado-membro tem autonomia para aceitar viajantes que já tenham recebido as duas doses da vacina.

Europa recebe turistas desde que estejam imunizados com ESTA vacina
Europa recebe turistas desde que estejam imunizados com ESTA vacina (Imagem: Reprodução/Jovem Pan)

A relação de países sem restrições de viagem irá aumentar seguindo o novo limite de taxa de contágio de 75 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias. Atualmente no Brasil é registrado 395 casos para 100 mil habitantes. 

Até o momento esta lista possui oito países: Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Coreia do Sul, Tailândia, Ruanda, Israel e China (quando passar a oferecer reciprocidade).

Além desta regra de novos casos, também é levado em consideração se a tendência de contágio está crescendo ou diminuindo, a quantidade de testes realizados por habitante, o índice de resultados positivos, o ritmo da vacinação e a presença de variantes. 

Segundo o Conselho, outro fator importante é o controle a pandemia aplicado em cada país. Dentro deste critério é observado a aplicação de testes, rastreio de contatos, isolamento e se possui informações confiáveis.

As novas regras concedem autonomia para cada país aceitar a vacinação como forma de dispensar restrições como testes e quarentenas. 

A princípio, os países que optarem por isso, devem autorizar viagens de quem recebeu a última dose recomendada de uma vacina aprovada pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ao menos 14 dias antes de sua chegada.

Vacinas autorizadas 

Até a ultima quinta, 20, a EMA havia autorizado o uso das vacinas da Pfizer, da AstraZeneca, da Moderna e da Janssen e está avaliando a Coronavac (China) e a Sputnik V (Rússia). Além destas quatro aprovadas na Europa, a OMS aconselhou o uso da fabricada pela chinesa Sinopharm.

A UE ainda debate as determinações para aceitar certificados de vacinação de países fora do bloco. O Conselho disse que até a definição, cada país deve considerar “a possibilidade de poder verificar a autenticidade, validade e integridade” do documento apresentado por um viajante estrangeiro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.