Fiocruz suspende produção de vacinas e Brasil fica sem fabricação

Na última quarta-feira, 19, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) suspendeu a produção de vacinas contra a Covid-19. A decisão foi tomada devido ao atraso na entrega do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) importado da China. 

Fiocruz suspende produção de vacinas e Brasil fica sem fabricação nacional
Fiocruz suspende produção de vacinas e Brasil fica sem fabricação nacional (Imagem: Agência Brasil)

Neste sentido, interrompeu-se o funcionamento de equipamentos utilizados para misturar os ingredientes, envasar e rotular, atividades relacionadas à primeira etapa da produção.

Por outro lado, as máquinas responsáveis pelos testes de esterilidade, estabilidade e produtividade permanecem ativas com o objetivo de testar cerca de 18 milhões de doses que já estão em produção. 

A produção das vacinas contra a Covid-19 permaneçam suspensas por, aproximadamente, seis dias. A previsão é para que a situação volte à estabilidade na próxima terça-feira, 25, com a chegada de um novo lote de IFA que possibilitará a produção de mais 12 milhões de doses do imunizante.

Contudo, a Fundação Fiocruz ressaltou que mesmo com a breve suspensão, não irá atrasar a entrega das doses de vacinas para o Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o vice-presidente de Produção e Inovação da Fiocruz, Marco Krieger, a intenção é entregar 100 milhões de doses até o fim do mês de julho. 

Na oportunidade, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, confirmou na última quinta-feira, 20, que o IFA deve chegar em território brasileiro nos próximos dias. O lote será dividido entre a Fundação Fiocruz e o Instituto Butantan para a produção da AstraZeneca e Coronavac, respectivamente. 

O carregamento de IFA deve chegar ao Brasil neste sábado, 22, contendo duas remessas da matéria-prima. A capacidade extra visa antecipar o lote que deveria ser entregue no dia 29 de maio. 

Vale ressaltar que enquanto a Fundação Fiocruz trabalha na produção de novas doses de vacinas contra a Covid-19 mediante a importação do IFA, também há esforços envolvidos no sentido de dar início à própria produção de matéria-prima em território brasileiro.

Com o objetivo de auxiliar nessa atividade, a AstraZeneca já repassou à fundação todos os dados técnicos necessários para a transferência de tecnologia, permitindo a fabricação própria do imunizante.

Neste mês de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já realizou a vistoria responsável por conceder o certificado equivalente às condições técnico-operacionais das instalações (CTO) para a produção própria de IFA. Conforme apurado, a Fiocruz já concluiu a produção de 50 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 desde o mês de fevereiro deste ano.

Um lote contendo três mil litros de IFA chegará ao Brasil na próxima terça-feira, 25, e será destinado diretamente ao Instituto Butantan. O volume da matéria-prima possibilitará a produção de, aproximadamente, cinco milhões de doses do imunizante. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA