UFES entra na lista de prejudicadas com corte no orçamento das universidades

Infelizmente, a UFES acabou entrando na lista das faculdades prejudicadas pelo corte de orçamentos financeiros. Com apenas 40% dos recursos orçamentais liberados, o Instituto começará a colher os prejuízos a partir do segundo semestre de 2021.

UFES entra na lista de prejudicadas com corte no orçamento das universidades
UFES entra na lista de prejudicadas com corte no orçamento das universidades (Imagem: Reprodução Luciney Araújo/ TV Gazeta)

UFES prejudicada

A educação brasileira está em crise, muitas faculdades como a UFRJ têm passado por cortes em seus orçamentos financeiros. Nos últimos onze anos o Ministério da Educação (MEC) reduziu em 11% à ajuda de custos nas universidades federais.

E, infelizmente, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) também está passando pela mesma situação. Os resultados da situação financeira apertada no instituto reverterá a partir do segundo semestre de 2021.

Pois, com a redução de 60% do orçamento anual, a faculdade não consegue manter todos os gastos de limpeza, segurança, manutenção, pesquisas, extensão e atividades de ensino.

Na nota apresentada pela faculdade está escrito que, “Como temos apenas 40% dos recursos orçamentários liberados, o funcionamento poderá ser fortemente prejudicado a partir do segundo semestre do ano, caso não sejam descontingenciados os outros 60% pelo Congresso Nacional, e liberados os valores que foram bloqueados pelo governo federal após sanção da Lei Orçamentária Anual (LOA).”

A Ufes divulgou ainda que, ela tem passado por cortes financeiros desde 2015, todavia, o corte ficou maior neste ano de 2021. A universidade sobreviveu até agora por conta do ensino e trabalho remoto e, somente algumas disciplinas estão em ensino hibrido.

Caso às aulas voltem presencialmente no próximo semestre a reposição deverá ser feita urgentemente. Como divulgou a universidade:

“Essa situação se agrava se considerarmos a possibilidade de retomada gradual das atividades presenciais, tão logo seja seguro, o que exige de todas as instituições de ensino superior aportes diferenciados para adequar sua infraestrutura e adquirir insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).”

Redução de orçamentos

Desde o início deste ano, 2021, o Ministério da Educação (MEC) reduziu 37% nas despesas discricionárias que são destinados para as universidades federais.

Essa redução diretamente os pagamentos de setores como: água, luz, segurança, além de bolsas de estudo e programas de auxílio estudantil das instituições e, consequentemente, isso pode levar ao fechamento de algumas das faculdades federais do país.

No meio da calamidade educacional o MEC informou que, “o MEC tem não tem medido esforços nas tentativas de recomposição e/ou mitigação das reduções orçamentárias das IFES.”

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Mariana Castro
Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes - SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a sessão de carreiras do FDR, produzindo pautas sobre educação e emprego.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA