Imposto de Renda 2021: Saiba como diminuir o valor e AUMENTAR a restituição

Pontos-chave
  • Contribuinte pode seguir dicas para reduzir imposto a pagar ou aumentar a restituição;
  • Declaração conjunta pode não ser uma boa escolha;
  • Não incluir filhos que recebem pensão como dependentes é uma outra dica importante.

No Imposto de Renda 2021, os contribuintes devem inserir todos seus rendimentos, bens e despesas adquiridos em 2020. Dessa forma, o sistema define se ele vai receber uma restituição do valor retido na fonte, ou se deverá pagar mais impostos.

Imposto de Renda 2021: Saiba como diminuir o valor e AUMENTAR a restituição
Imposto de Renda 2021: Saiba como diminuir o valor e AUMENTAR a restituição (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Com as informações, a Receita faz uma análise de todos os rendimentos tributáveis. E, a partir deles, é descontado as despesas classificadas como dedutíveis.

O resultado é a base de cálculo que vai definir a alíquota aplicada sobre os valores com incidência de tributos e vai ditar o quanto o contribuinte pagará de imposto no ano.

Caso o valor pago em tributos retidos na fonte ao longo do ano passado tenha sido maior que esse montante, o contribuinte será restituído do valor excedente. Do contrário, ele pagará o que está faltando.

Mas o contribuinte pode seguir algumas dicas para ajudar a reduzir a base de cálculo do IR, e desta maneira, aumentar a restituição ou diminuir o imposto a pagar. Veja alguma delas.

Simule aqui, o valor a ser pago na declaração do seu Imposto de Renda 2021!

Não inclua como dependentes filhos que recebem pensão

Os contribuintes que pagam pensão alimentícia podem deduzir este gasto totalmente, porém, quem recebe a pensão sofre tributação igual a de um salário.

No caso de uma ex-marido, por exemplo, que paga R$ 3 mil de pensão, sendo mil reais para sua ex-esposa e R$ 1 mil para cada um dos dois filhos do casal. Se a mãe declarar  toda esse montante, seu ganho será de R$ 36 mil em um ano, quantia que está sujeita à alíquota de IR de 15%.

Porém, ao calcular a renda de forma individual, cada beneficiário terá R$ 12 mil de renda tributável ao final do ano (caso não tenham outras rendas).

Como rendas tributáveis menores a R$ 28.559,70 estão isentas de IR neste ano, os R$ 36 mil extras recebidos por esta família não estariam sujeitos à cobrança de IR.

Nesta situação, é vantajoso para a mãe apresentar uma declaração individual para cada um dos filhos, em vez de declará-los como seus dependentes. A estratégia só não vale a pena se a pensão for muito alta.

Não faça uma declaração única do casal

Quando o casal declara em conjunto, a receita tributável de ambos é somada. Com isso, a probabilidade de pular para uma faixa maior de tributação do IR aumentam.

Ao optar por declarar individualmente, cada um tem uma isenção de até R$ 22.847,76 (R$ 1.903,98 por mês) sobre a renda tributável.

Sendo assim, a  declaração em conjunto só é uma vantagem quando um dos cônjuges tem pouca ou nenhuma renda tributável.

Reformas podem elevar valor do imóvel

Quando o contribuinte vende um imóvel, ele paga um imposto de 15% sobre o ganho de capital, que significa a diferença entre o valor de compra do bem e o preço pelo qual ele foi vendido. Sendo assim, quanto menor a diferença entre o preço de compra e de venda, menor é o imposto.

Já que a Receita não autoriza a atualização do preço do imóvel a valor de mercado, justamente para arrecadar mais imposto, uma das formas para aumentar o custo de aquisição é acrescentar gastos com benfeitorias e reformas.

Corretagem e ITBI também elevam valor do imóvel

O valor de compra do imóvel também pode ser aumentado com despesas ligadas no financiamento, como a corretagem (quando paga pelo comprador) e gastos com um eventual laudêmio e com o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis).

IRPF 2021 (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Aluguel recebido pode ser dividido

Quando o casal declara os valores recebidos com renda de aluguéis, eles podem diminuir o IR incidente sobre a renda tributável de cada um e se livrar de pagar o IR mensal, recolhido pelo programa Carnê-Leão.

Quem é obrigado a declarar o Imposto de Renda 2021?

Os contribuintes que tiveram rendimentos tributáveis (como salário) que, juntos, passaram de R$ 28.559,70 em 2020.

Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte (como de poupança ou saque do FGTS, por exemplo) de mais de R$ 40 mil também precisam entregar o documento.

Quem negociou ações na bolsa de valores, possuía bens (como casa) acima de R$ 300 mil, ou teve receita de mais de R$ 142.798,50 em atividade rural também precisa declarar o IR.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.