Bolsa de Valores: O que é preciso para começar a investir?

O mundo dos investimentos está cada vez mais conquistando os brasileiros. Porém, no início surgem muitas dúvidas sobre o que fazer para não cometer erros no momento de investir. Nesta matéria você vai conferir dicas simples do que fazem toda a diferença em seus investimentos.

Bolsa de Valores: O que é preciso para começar a investir?
Bolsa de Valores: O que é preciso para começar a investir? (Imagem: Reprodução / Portal V10 Investimentos)

Faça um levantamento de sua vida financeira

Para começar, é importante conferir como está sua vida financeira no momento em que deseja começar a investir. “Você precisa fazer um balanço da sua vida financeira, entender como ela está”, diz Felipe Bevilacqua em entrevista ao portal UOL.

Inclua neste levantamento o seu custo de vida, ou seja, aquilo que é fundamental para você e sua receita (quantia ganha todos os meses). Caso você seja autônomo e sua renda não seja fixa, é preciso considerar uma média de renda dos últimos 12 meses.

Metas

Tenha claro quais são suas metas e objetivos com estes investimentos e qual será o custo. Considere tudo isso em seu planejamento pois todo o investimento deve ter um objetivo por trás.

Reserva de emergência 

Sempre reserve dinheiro para utilizar em momentos de emergência. De forma geral, a reserva de emergência é correspondente a seis meses de gastos fixos. É importante que este dinheiro esteja aplicado em investimentos em que o investidor possa resgatá-lo quando quiser.

Renda fixa é recomendado para iniciantes 

Para quem está ingressando agora no mundo dos investimentos, a recomendação do economista é começar pela renda fixa, em títulos públicos e privados, antes de seguir para a Bolsa de Valores. 

Mesmo na renda variável, Bevilaqua aconselha os investimentos de menor risco. “Acredito muito em um processo de evolução. Existem muitos fundos de índice, que é um jeito bom de conseguir uma exposição em ações, diversificando, mas com muito pouco dinheiro”, disse.

Carteira de investimentos 

Após entender como funciona os investimentos de renda fixa, a próxima etapa é construir uma carteira de investimentos com gestão ativa. 

“Gestão ativa é quando você escolhe ações e fundos focados em dividendos, que tem menor risco em relação às outras ações. Geralmente são empresas mais consolidadas e com uma longa estrada”, diz o economista.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.