Salário mínimo de R$1.147 será suficiente para população? Entenda!

Novo salário mínimo para 2022 é definido pelo governo federal. Nessa semana, o Ministério da Economia enviou para o Congresso Nacional o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) do próximo ano. Na pasta, o piso nacional passará a ser de R$ 1.147, o que significa um acréscimo de 4,27% em comparação com o atual de R$ 1.100. Entenda mais abaixo.

Salário mínimo de R$1.147 será suficiente para população? Entenda! (Imagem: Reprodução/Jornal Contabil)
Salário mínimo de R$1.147 será suficiente para população? Entenda! (Imagem: Reprodução/Jornal Contabil)

O governo federal acaba de liberar a previsão orçamentária de 2022. De acordo com a LDO analisada no congresso, o piso nacional terá um acréscimo de R$ 47 em comparação com o valor atual de R$ 1.100.

O reajuste, no entanto, não significará ganhos efetivos para a população, tendo em vista a projeção da inflação de 4,3%.

A previsão para 2023 é de R$ 1.188 e em 2024 ficará em R$ 1.229, afirmou o ministro Paulo Guedes. No entanto, os valores devem ser considerados apenas como uma referência, havendo a possibilidade de mudança a depender do andamento econômico do país.

De acordo com os números do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), cerca de 50 milhões de pessoas serão contempladas com o novo salário mínimo, sendo cerca de 24 milhões beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Novo reajuste não trará aumento real

Apesar do acréscimo de R$ 47, o novo valor não significará uma folga no bolsa da população. Isso porque, os índices da inflação ainda estão em alta e o país segue lutando para lidar com os efeitos econômicos do novo coronavírus.

Enquanto a cesta básica ultrapassa sua comercialização acima de R$ 1.000, em São Paulo, o novo piso nacional fica cerca de 5 vezes abaixo da quantia ideal para sustentar uma família de até 4 pessoas.

É importante ressaltar que, um dos grandes motivos pelos quais o reajuste foi mínimo diz respeito aos gastos públicos. Quanto maior o valor do salário mínimo, maior a despesa da União tendo em vista a concessão dos benefícios previdenciários e trabalhistas.

A cada R$ 1 de aumento no piso nacional, o governo tem uma despesa de R$ 315 milhões por ano. Com o aumento de R$ 47, significa uma nova folha orçamentária de R$ 15 bilhões.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.