PIX vai oferecer serviços offline usando a opção de QR Code

O Banco Central informou que a ferramenta PIX em breve realizará pagamentos por meio de QR Code do pagador. Uma ferramenta offline, isto é, sem conexão com a internet. 

 PIX vai oferecer serviços offline usando a opção de QR Code
PIX vai oferecer serviços offline usando a opção de QR Code (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O grande diferencial é que a autenticação da solicitação de pagamento conseguirá ser feita pelo usuário mesmo sem internet.

Depois da validação da operação, o status de pagamento será enviado localmente pelo dispositivo do recebedor que realiza o envio da informação à instituição de origem e destino dos recursos.

O que é o PIX?

Uma ferramenta de pagamento instantâneo, uma nova opção ao lado do TED, DOC e cartões para pessoas e empresas realizarem transferências de valores ou recebimento de pagamentos.

Como aderir ao PIX?

Para aderir ao PIX é necessário que o usuário crie uma chave. Essa chave pode ser criada usando os canais de atendimento do banco, ou instituição financeira onde tem conta.

Como fazer pagamentos nesse novo sistema?

No momento de realizar a transação, a opção do Pix vai aparecer no aplicativo ao lado da TED ou DOC.

Depois de escolher por ele, digitar a chave informada pelo destinatário do pagamento. Informe sua senha e pronto. 

Outras funções

Em breve também estará disponível o saques em lojas, em que o usuário deve realizar uma transferência Pix para um estabelecimento comercial e retirar o valor em dinheiro. Com isso, pode ser feito um repasse em um valor maior que a compra e a retirada da diferença no caixa.

O pagamento por aproximação pode ser feito pelo celular, para isso basta aproximar o celular da maquininha de cartão, que debita o valor por meio do Pix.

Já para a iniciação do pagamento, será criado uma instituição financeira, com capital mínimo de R$1 milhão, no qual serão executadas as transferências, mas não participarão do fluxo financeiro.

Também nesse ano aplicativos bancários, como do Banco do Brasil, aderiram a um sistema que conecta a agenda do telefone com as transferências bancárias. O que facilita o envio de dinheiro para quem usa o celular como chave. 

Com isso, os usuários podem usar o aplicativo da instituição financeira para que seja aberta a lista de contatos e identifique quais números estão associados a uma chave Pix.

O Banco Central fez um balanço desde o lançamento do novo sistema. O número de operações por meio da ferramenta ultrapassou o volume somado de transferências eletrônicas diretas (TED), e de documentos de ordem de crédito (DOC).

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.