Bolsonaro corta projeto que daria internet grátis para educação básica

Segundo estudos, pouco mais de 30% dos estudantes da educação básica da rede pública de ensino não têm acesso à internet. Esse índice ficou ainda mais evidente no ano passado, quando as aulas começaram a ser virtuais por conta da pandemia.

Bolsonaro corta projeto que daria internet grátis para educação básica
Bolsonaro corta projeto que daria internet grátis para educação básica (Imagem/Reprodução: Google)

Entre as coisas que a pandemia expõe, está a desigualdade social existente no Brasil.

Que pode ser sentida nitidamente na educação pública, quando as aulas passaram a ser virtuais e muitos estudantes não tinham acesso à internet.

A última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo IBGE em 2018, mostrou que, entre a faixa etária de 5 a 17 anos de idade, 79% dos estudantes da rede pública de ensino tinham acesso à internet.

Senadores e Deputados haviam aprovado o projeto que garantia acesso gratuito à internet para professores e estudantes da rede pública.

No entanto, o presidente Jair Bolsonaro vetou integralmente a proposta. Entenda agora os motivos do veto presidencial.

Educação básica sem acesso gratuito à internet

O projeto previa o repasse de R$ 3,5 bilhões para os estados e o distrito Federal. Esse valor deveria ser investido em medidas para possibilitar o acesso à internet gratuita aos estudantes e professores da rede pública de ensino.

Bolsonaro, em decisão publicada hoje (19) no Diário Oficial da União afirmou que o veto é justificado devido às dificuldades financeiras que o país enfrenta nesse momento.

“A medida encontra óbice jurídico por não apresentar a estimativa do respectivo impacto orçamentário e financeiro, e aumenta a alta rigidez do orçamento, o que dificulta o cumprimento da meta fiscal e da Regra de Ouro”, afirmou o presidente no texto publicado no D.O.U dessa sexta-feira.   

Entenda melhor a proposta voltada à educação básica que acaba de ser vetada

De um modo geral, esses R$3,5 bilhões seriam destinados à compra de planos de internet móvel e tabletes, recursos necessários ao acesso às aulas virtuais.

Além disso, o projeto já previa que o atendimento seguisse a ordem:

Continue bem informado, acompanhe a editoria de carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA