Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior

O Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, revelou que os produtores rurais brasileiros estão contratando mais empréstimos. O balanço divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento revelou que as contratações de crédito rural totalizaram R$ 147,57 bilhões entre os meses de julho de 2020 e fevereiro de 2021. 

Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior
Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior (Imagem: Reprodução/Google)

Este resultado mostra um crescimento de 18% em comparação ao montante emprestado no mesmo período da safra anterior.

Os financiamentos de custeio cresceram 14%, alcançando R$78,64 bilhões, e os de industrialização, cresceram 1%, com R$8,24 bilhões.

A comercialização foi a única modalidade a apresentar diminuição nas contratações, caindo 3% e totalizando R$13,34 bilhões. O Ministério da Agricultura disse que esta queda é decorrente da alta no preço dos  alimentos, que reduziu a necessidade de crédito para a venda da produção. 

Investimento 

No crédito para investimento, que inclui a compra de máquinas e melhorias no armazenamento e na produção, os empréstimos aos pequenos produtores atendidos pelo  Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) somaram R$ 10,23 bilhões, com alta de 8% em comparação à safra passada.

Já os médios produtores que são atendidos pelo Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), pegaram R$ 1,88 bilhão emprestados para investimentos, um crescimento de 3%.

Os demais produtores, categoria que engloba grandes produtores e cooperativas, corresponderam a R$ 35,22 bilhões, com alta de 56%.

Falando sobre os programas de investimento custeados com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a quantidade mais alta de contratações aconteceu no Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota), com R$ 7,03 bilhões (+33%). 

Na sequência, aparece o Programa de Agricultura de Emissão de Baixo Carbono (Programa ABC), com R$ 2,09 bilhões (+12%) e o Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), com R$ 1,66 bilhão (+60%).

Os empréstimos do Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária) somaram R$ 1,56 bilhão (+29%). As operações do Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (Moderagro) somaram R$ 1,3 bilhão (+28%). 

Por fim, as operações de crédito do Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido (Moderinfra) totalizaram R$ 714 milhões (+106%).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.