Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior

O Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, revelou que os produtores rurais brasileiros estão contratando mais empréstimos. O balanço divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento revelou que as contratações de crédito rural totalizaram R$ 147,57 bilhões entre os meses de julho de 2020 e fevereiro de 2021. 

Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior
Adesão do crédito rural tem alta de 18% em relação a safra anterior (Imagem: Reprodução/Google)

Este resultado mostra um crescimento de 18% em comparação ao montante emprestado no mesmo período da safra anterior.

Os financiamentos de custeio cresceram 14%, alcançando R$78,64 bilhões, e os de industrialização, cresceram 1%, com R$8,24 bilhões.

A comercialização foi a única modalidade a apresentar diminuição nas contratações, caindo 3% e totalizando R$13,34 bilhões. O Ministério da Agricultura disse que esta queda é decorrente da alta no preço dos  alimentos, que reduziu a necessidade de crédito para a venda da produção. 

Investimento 

No crédito para investimento, que inclui a compra de máquinas e melhorias no armazenamento e na produção, os empréstimos aos pequenos produtores atendidos pelo  Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) somaram R$ 10,23 bilhões, com alta de 8% em comparação à safra passada.

Já os médios produtores que são atendidos pelo Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), pegaram R$ 1,88 bilhão emprestados para investimentos, um crescimento de 3%.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
imagem do cartão
Você foi selecionado para ter um cartão de crédito, sem anuidade hoje mesmo.
Faça sua aplicação!
277 pessoas solicitando no momento...

Os demais produtores, categoria que engloba grandes produtores e cooperativas, corresponderam a R$ 35,22 bilhões, com alta de 56%.

Falando sobre os programas de investimento custeados com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a quantidade mais alta de contratações aconteceu no Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota), com R$ 7,03 bilhões (+33%). 

Na sequência, aparece o Programa de Agricultura de Emissão de Baixo Carbono (Programa ABC), com R$ 2,09 bilhões (+12%) e o Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), com R$ 1,66 bilhão (+60%).

Os empréstimos do Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária) somaram R$ 1,56 bilhão (+29%). As operações do Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (Moderagro) somaram R$ 1,3 bilhão (+28%). 

Por fim, as operações de crédito do Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido (Moderinfra) totalizaram R$ 714 milhões (+106%).

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.