Rio Grande do Sul entra em bandeira preta! O que fica proibido de funcionar?

Rio Grande do Sul vive novo momento crítico com a covid-19. Nessa semana, o governo do estado informou que estará aplicando a bandeira preta em todos os municípios da região. Com o crescimento no número de contaminados pela pandemia, Eduardo Leite, atual governador, decretou o fechamento de uma série de atividades. Saiba o que funciona.

Rio Grande do Sul entra em bandeira preta! O que fica proibido de funcionar? (Imagem: Google)

Com os leitos hospitalares e UTI’s lotados, o Rio Grande do Sul acaba de entrar na bandeira preta do novo coronavírus.

Desse modo, visando conter o número de doentes, o governo estadual estará fechando uma série de serviços e reduzindo o horário de funcionamento de todas as cidades da região.

Até o próximo dia 7 de março serão aplicados rodízios para que comércios e demais serviços funcione evitando aglomerações.

A gestão estará aplicando uma série de protocolos e regras sanitárias, aplicando multa para aqueles que violarem as determinações.

Das 20h até às 5h dos próximos dias, serão suspendidas todas as atividades no estado. Restaurantes, lojas, shoppings, todos terão que fechar as portas. Até mesmo o serviço de transporte público ficará paralisado.

Sistema de rodízio no Rio Grande do Sul

Para quem atua no serviço público, apenas as equipes de saúde, segurança, ordem pública e atividades de fiscalização irão operar com 100% da equipe.

Nos demais setores, as atividades irão ocorrer com no máximo 25% dos trabalhadores em modalidade presencial.

Para restaurantes, o funcionamento ocorrerá apenas no modelo pague e leve, contando com 25% do total da equipe. A mesma determinação será aplicada para as lanchonetes, bares e restaurantes.

No comércio, seja ele de rua ou em shoppings, o funcionamento presencial permanecerá ocorrendo, porém o limite de restrição de pessoas deverá ser respeitado para garantir o distanciamento.

Na área de lazer, estarão fechados todos os parques temáticos, zoológicos, teatros, auditórios, casas de espetáculos e shows, circos, cinemas e bibliotecas. As academias e demais centros esportivos também não poderão funcionar.

Nos espaços públicos, os parques, praças, mar, devem ser utilizados apenas para a circulação. Será preciso respeitar o distanciamento e usar máscaras. A permanência e aglomeração fica proibida.

As atividades religiosas como missas e cultos poderão ocorrer com 25% dos trabalhadores, sendo necessária fazer a transmissão para o público seja por áudio ou vídeo.

Os bancos, lotéricas e similares ainda funcionaram, mas com o atendimento individual e apenas 50% dos funcionários.

Por fim, o transporte público deverá seguir circulando com apenas 50% da capacidade total permitida no veículo e de janelas abertas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.