IPTU de Criciúma encerra cobrança em cota única nesta sexta-feira (26)

Nesta sexta-feira (26), é o prazo para os contribuintes de Criciúma pagar a primeira parcela e a cota única do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que são pagas pelos moradores de todas as cidades do país. 

Prefeitura de Curitiba aprova refinanciamento das dívidas do IPTU e ISS 2020

As guias de pagamento podem ser emitidas no site ou em um dos nove locais espalhados em pontos estratégicos da cidade para que assim se evite aglomerações. 

O IPTU já está parcelado de forma automática em 10 vezes, com o valor mínimo de R$100 por parcela, de acordo com cada um dos documentos. 

Nessas datas são válidas também para o pagamento de alvarás e  Imposto Sobre Serviços (ISS). 

Segundo a Secretaria da Fazenda de Criciúma, o IPTU de Criciúma é um dos menores do Estado.

Pensando na segurança do contribuinte, para facilitar o acesso e evitar filas, o governo municipal está oferecendo um site, que foi feito especificamente para o serviço de fácil acesso para toda a população.

Além disso, a plataforma emite os carnês e traz as informações obre os débitos pendentes, isenção, renovação, taxa de lixo e outras informações importantes. Para ter acesso a tudo basta entrar em: www.iptu.criciuma.sc.gov.br.

As guias podem ser emitidas  em locais fixos espalhados estrategicamente em todas as regiões da cidade. 

O que é IPTU?

O IPTU é cobrado pela prefeitura de cada município e deve ser pago por aqueles que possuem um imóvel em área urbana, seja ele uma casa, apartamento, sala comercial ou outros tipos de propriedade. 

O que for arrecadado com o pagamento é investido nas áreas públicas da cidade, principalmente, para os asfaltos da cidade.

O valor varia de acordo com a cidade e o valor venal do imóvel, que é utilizado como base para o cálculo do valor a ser pago pelo contribuinte. 

O imposto pode ser pago à vista ou parcelado ao longo do ano.

Os contribuintes precisam realizar o pagamento do IPTU, pois se ficar em dívida terá o acréscimo de multa e de juros, pelo período de inadimplência. 

O contribuinte não conseguirá realizar a negociação do imóvel ou colocá-lo à venda. Alguns imóveis chegam a ir a leilão para que a prefeitura receba esse dinheiro.

O nome do proprietário do imóvel será inscrito em dívida ativa e a solicitação de crédito nos bancos poderá ser negada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.