Programa CNH Cidadã trava e impede novas etapas de seleção em Roraima

Motoristas de Roraima têm aceitação na CNH Cidadã travada. Nessa semana, o Departamento Estadual de Trânsito estadual informou que ainda não há previsão para a realização das próximas etapas do projeto que concede a habilitação de forma gratuita. Os aprovados aguardam desde novembro de 2020 para poderem realizar as aulas e exames.

Programa CNH Cidadã trava e impede novas etapas de seleção em Roraima (Imagem: Google)
publicidade

Para quem se candidatou na CNH Cidadã de Roraima em 2020 as notícias não são positivas. Nos últimas dias o Detran informou que ainda não há previsão de quando será possível dar continuidade a matricula dos motoristas. Ao todo, são mais de 24 mil inscrições travadas.

Motivo da suspensão da CNH Cidadã

O órgão esclareceu que o principal motivo do entrave foi a quantidade de inscrições feitas na última seleção. A justificativa foi de que não há servidores o suficiente para dar andamento as análises de forma mais rápida, desse modo será preciso aguardar a validação de todos os candidatos.

“Não há previsão, uma vez que a análise é individual e minuciosa”, diz trecho da nota.

Na mesma nota o Detran explicou que somente depois de avaliar todos os candidatos é que será possível liberar o resultado de quem foi aprovado para a próxima etapa. É válido ressaltar que a candidatura dos 24 mil cidadãos não implica dizer na aceitação de todos.

O órgão deverá selecionar aqueles que atendam prioritariamente aos critérios de renda e situação de vulnerabilidade social. Até o momento, ainda não foi liberada uma média de quantos motoristas serão aceitos.

Sobre a CNH Cidadã

Trata-se de um projeto, regulamentado por meio da lei nº 1.011/2015, que permite com que o Detran conceda a carteira de habilitação (CNH) de forma gratuita para a população de baixa renda.

Em Roraima, a aceitação foi validada em outubro de 2020, pelo governador Antônio Denarium, sob a autoria dos deputados estaduais Jorge Everton (MDB), Coronel Chagas (PRTB) e Marcelo Cabral (MDB).

Inicialmente a primeira seleção deveria escolher 400 pessoas para que essas pudessem ter acesso a todas as aulas e exames do Detran de forma gratuita. Os aprovados teriam o direito de se matricular na auto escola, fazer os testes de saúde e direção, sem precisar quitar nenhuma taxa.

Entre os critérios divulgados na época da seleção, havia a informação de que 40% das vagas seriam para a população de baixa renda, 40% para quem estivesse vinculado ao Bolsa Família, 18% para quem desejasse renovar a CNH e 2% para egressos e liberados do sistema penitenciário.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.