Auxílio emergencial de R$100 volta a ser pago para moradores de São Paulo

Em São Paulo, auxílio emergencial local voltará a ser pago. Nessa quinta-feira (11), a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei que permite com que a prefeitura realize de pagamentos de R$ 100 para a população de baixa renda. De acordo com o texto da proposta cerca R$ 1,25 milhão será injetado na região.

Auxílio emergencial de R$100 volta a ser pago para moradores de São Paulo (Imagem: Google)
Auxílio emergencial de R$100 volta a ser pago para moradores de São Paulo (Imagem: Google)

A manutenção do auxílio emergencial tem se tornado debate em boa parte das prefeituras brasileiras. Diante da incerteza sobre a renovação do programa de transferência de renda por parte do governo federal, os gestores municipais estão elaborando seus próprios benefícios. Em São Paulo, uma nova rodada com três parcelas passará a ser concedida.

Auxílio emergencial em São Paulo

Segundo o texto validado na Câmara, o benefício será de R$ 100 por cidadão, podendo ter acesso a três mensalidades. A previsão é de que passe a ser liberado ainda em fevereiro, seguindo os mesmos moldes das rodadas aprovadas em novembro de 2020.

Inicialmente o benefício tinha sido pago em uma única parcela de R$ 300, mas agora passará a ser dividido para auxiliar na manutenção dos cofres públicos. Terá direito de receber todos os inscritos em programas sociais como o Bolsa Família.

Além disso, o programa incluirá também as famílias que tenham trabalhadores ambulantes com autorização do Termo de Permissão de Uso (TPU) ou que fazem parte do sistema “Tô Legal” da Prefeitura.

Sansão do projeto dividiu a bancada

Mesmo já aprovado, o projeto foi alvo de críticas durante sua votação. Gilberto Nascimento Júnior (PSC), informou que sua concessão deveria ser de responsabilidade do governo federal e que o valor de R$ 100 mensais não irá solucionar a fome da população. Em sua visão, há um custo muito alto e sem retorno efetivo para a prefeitura.

Na contrapartida Reginaldo Tripoli (PSDB) argumentou garantido que por menor que seja a quantia deverá ser bem vinda para quem está sofrendo com o silenciamento do governo federal. Segundo ele, a gestão de São Paulo deve criar suas próprias propostas para enfrentar a pandemia.

“Quem deveria continuar com isso é o governo federal. A cidade de São Paulo, mais uma vez, vai na contramão do que faz o governo federal. Sei que todos os vereadores gostariam que o auxílio fosse de R$ 1 mil na pandemia e no pós-pandemia. Mas entre o que desejamos e o que podemos fazer existe uma distância enorme e temos de aprovar o projeto que temos urgentemente. É pouco? Depende pra quem, R$ 100 ajuda bastante. A atitude do prefeito é louvável”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA